Gastronomia italiana: entradas típicas da Toscana

04/out | por Deyse Ribeiro

*Este post faz parte da Blogagem Coletiva de Gastronomia Italiana, a qual é promovida por blogueiras brasileiras residentes na Itália que durante as sextas-feiras de outubro vão publicar uma série de textos sobre especialidades da cozinha italiana.

O primeiro post é sobre as entradas, ou como são chamadas aqui na Itália, antipasti.

O MENU

Antes de entrar a fundo no argumento, prefiro explicar melhor para aqueles que ainda não viajaram para a Itália, como é a ordem dos pratos servidos nos restaurantes, como já falei no post de dicas de restaurantes. Não é que toda refeição deve ser assim, mas essa é a ordem tradicional:

menu

1. Antipasto: Entrada
2. Primo Piatto: Primeiro prato, geralmente são sopas, massas e risotos
3. Secondo Piatto: Segundo prato com carnes ou peixes e frutos do mar.
Accompagnamenti/ Contorni:, acompanhamentos para o segundo prato, que pode ser verduras, feijão, batatas fritas e até saladas. Você pode ou não escolher um acompanhamento, não é uma regra a ser seguida.
4. Dessert/Dolci: sobremesas
.

ANTIPASTI

Já dizia o famoso Pellegrino Artusi, grande gastrônomo italiano: “os antipasti são pequenos pratos que são servidos no início da refeição, para abrir o apetite para uma bella magiata. (…) Bom gosto e requinte são a base das entradas, e sua função é preparar o paladar para abordar a degustação dos pratos que se seguirão, é a primeira oportunidade para o prazer do paladar e porque não do espírito.” .
A mesa com os Artusi

A mesa com os Artusi

Normalmente, no Menu nos restaurantes vocês podem encontrar entre várias opções de entradas típicas, uma muito comum, o antipasti misti toscani: com salumi/affettati, bruschettas e crostinis variados e ainda, uma opção “curiosa” para os brasileiros, a fior di zucchini (ou zucca) frita. Vou falar neste post um pouco sobre essas duas opções.
.
1. ANTIPASTI MISTI TOSCANI:
Fonte: Osteria Mangiando Crostini + bruschetta + salumi

Fonte: Osteria Mangiando
Crostini + bruschetta + salumi

Ele é composto de 3 coisas muito comuns na culinária toscana, e que você poderá encontrar facilmente  até mesmo separadas em um cardápio. vamos a elas:
.
–  Crostinis:
crostinis

crostinis

Os crostini, que significa “pequenos brindes” em italiano, é composto por pequenas fatias de pão, geralmente pão toscano, que pode ser servido natural ou torrado. As coberturas podem incluir uma variedade de queijos, carnes e vegetais, ou pode ser apresentada de forma mais simples com um fio de azeite e ervas ou um molho. Junto com a bruschetta, os crostini tem origem nos tempos medievais quando era típico para os camponeses italianos comerem as suas refeições em fatias de pão em vez de utilizar a cerâmica.
Na Toscana são típicos os de:
fegatini: figado de galinha
erbe: molho de ervas
funghi: cogumelos variados, depende da estação
salsiccia e stracchino: esse é o meu preferido!!! E feito com queijo stracchino, parecido com o queijo requeijão e a carne moída interna da linguiça de porco típica da Toscana, que é bem temperada, que não é a famosa linguiça “tipo toscana” vendida no Brasil, pois a verdadeira toscana não vai defumada.
.

Bruschetta:

bruschetta3
Do italiano “bruscare“, como “para assar na brasa”, refere-se ao pão e não ao recheio. A receita clássica é pão tipo ciabatta onde se esfrega um dente de alho e depois vai para a grelha, brustolire, depois acrescenta-se azeite extra virgem, sal e tomates italianos frescos cortados em pedaços com manjericão.

.

– Taglieri di salumi/affettati:

6

Taglieri di salumi com coccole e pão

Este nada mais é que uma seleção de presuntos e salames toscanos, algumas vezes servidos também com queijo. Na opção separada (somente o tagliere) é servido com o coccole (massa frita típica de Florença, que na tradução ao português seria “carinho”) e pães toscanos, que para quem não sabe é um pão que tem a característica de não conter sal! Por isso o prosciutto toscano tem mais sal que o de Parma, mas é mais macio.

.

2. Fior di Zucchini/Zucca:

fiori-di-zucca-ripieni_1

Flor de abobrinha /zucchini

Essa é a flor da abobrinha que em muitas partes do Brasil nós jogamos no lixo! Mas que aqui na Itália é muito utilizada na culinária.

Decidi falar sobre ela porque grande parte dos meus clientes me perguntam o que é esta verdura quando a encontram nos Menus. Ela na entrada pode ser encontrada frita, na pastella, ou seja em uma farinha tipo “tempura”, ou recheada. Eu adoro pura como recheada.

zucchini

versão street food

Em um famoso e ótimo local de comida de rua, que fica ao lado da igrejinha de Dante em Florença, encontramos a fior di zucchini frita e enrolada em um papel absorvente.

Ou nos restaurantes mais refinados, encontramos recheada com muçarela de búfala, anchovas e na versão toscana, recheada com papa al pomodoro (sopa consistente de tomate e pão) ou salsiccia e stracchino (linguiça e queijo, como na versão do crostini).

versões recheadas

versões recheadas

Não deixem de visitar os outros blogs e conhecer também as deliciosas entradas das outras regiões italianas, cliquem no link abaixo.

Espero que todos tenham se deliciado com a maravilhosa culinária toscana, e na próxima sexta tem mais textos sobre a culinária no meu Blog e dos outros participantes da Blogagem coletiva.

.

Os outros Blogs participantes:

Brasil na Italia
Milão nas Mãos
– Turismo em Roma
– Viagem Itália

BannerGastronomia

Leia ainda:

Veja o Calendário anual de eventos na Toscana e não perca nada!



Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Deyse Ribeiro
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Participe e dê seu pitaco!