As mais belas vinícolas da Itália estão na Toscana

12/mar | por Deyse Ribeiro

Eu leio ja a algum tempo a revista Wine News, uma conceituada revista, fonte de informação para os amantes do vinho da Itália, e me deparei neste mês com uma notícia interessante que decidi dividir com vocês.

Eu sempre falo aqui das maravilhosas vinícolas que a Toscana tem, temos uma combinação de arquitetura e vinho que dá muito certo e isso acabou gerando frutos.

Tenuta Argentiera

Tenuta Argentiera

O site mais amado pelos enófilos o WineNews, um dos sites mais clicados pelos italianos e ainda o Vinitaly, feira de vinhos internacional da Itália, elegeram as “catedrais do vinho”, as “cantinas” (em português as adegas) projetadas pelas estrelas da arquitetura mundial e italiana.

Ao vê-los do lado de fora parecem catedrais, monumentos erigidos ao deus Baco, obras luxuosas da arquitetura moderna, mas eles também são máquinas perfeitas a serviço da produção de vinho, projetadas por arquitetos de renome internacional, portanto classificadas como as mais belas obras arquitetônicas do mundo do vinho.

Não há mais lugares isolados, as cantinas e cavas tornaram-se lugares reais de adoração ao vinho, graças ao trabalho de arquitetos como Massimiliano Fuksas, Frank Gehry, Christian de Portzamparc, Jean Nouvel, para citar alguns colegas famosos  arquitetos indicados pelos enófilos.

Na lista de classificação das “cantine piu belle d´Itália“, ou seja, na lista das mais belas vinícolas e das suas adegas, de norte a sul da Itália, os amantes do vinho escolheram 3 vinícolas na Toscana.

Petra

Petra

No máximo da classificação temos a Vinícola Petra, projetada pelo arquiteto suíço Mario Botta em Suvereto, no coração de Val di Cornia, de propriedade do Grupo Terra Moretti, e construida em uma encosta para simbolizar a ligação entre a terra sagrada e as parreiras.

Eu visitei a Petra no ano passado, foi maravilhoso, porque fui um pouco antes da vinificação, na época das colheitas.

Mais fotos da Petra, e sua área interna estão no final deste post.

A segunda na classificação é a nova adega  sede do grupo Marchesi Antinori, chamada de Cantina Antinori, em San Casciano Val di Pesa, desenhado por Marco Casamonti, do Studio Archea Associati, que com a sua textura sutil e profunda, que lembra o precioso corte de Lucio Fontana (pintor italiano contemporâneo), e explora a morfologia da paisagem montanhosa.

Aqui no Blog ja falamos sobre ela, A moderna Cantina Antinori – por Marco Petrini, a estrutura da adega centra-se na relação com a terra, com baixo impacto ambiental, como olhares externos uma fenda horizontal na colina coberta de vinhas. A adega tem uma vista para o campo com um terraço rodeado por vinhas predominantemente Sangiovese.

No terceiro lugar, as caves da Tenuta Rocca Frassinello em Gavorrano, desenhada pelo superstar da arquitetura italiana, Renzo Piano, com a torre que emerge entre as linhas das parreiras, captura a luz e controla a temperatura da grande “barricaia” fechada (adega onde ficam envelhecendo os barris) realizada com um anfiteatro ao interno.

Foto: melodiadelvino.it

Tenuta Rocca Frassinello – Foto: melodiadelvino.it

Para os arquitetos de plantão, indico a leitura deste artigo aqui, com toda a história do projeto.

Depois, a número 4, há a Carapace, a cave da Tenuta Castelbuono da família Lunelli (do espumanti Ferrari) em Montefalco (Umbria), a primeira obra arquitetônica do grande escultor Arnaldo Pomodoro, com uma forma inconfundível de tartaruga, um símbolo de longevidade e união entre o céu e terra, o primeiro local com essa forma no mundo.

Veja um pouco do vídeo da Vinícola:

A número 5 é, no entanto, a vinícola Terre da Vino  em Barolo, do arquiteto Gianni Arnaudo, uma espécie de passeio arquitetônico que inclui  design e modernidade, no respeito da tradição.

vinícola Terre da Vino  em Barolo

vinícola Terre da Vino em Barolo – Foto:Terredavino.it

Também na Toscana, a número 6, é a Ca ‘ Marcanda, de propriedade de Angelo Gaja em Bolgheri, projetada pelo arquiteto Giovanni Bo, com sua estrutura de pedra que se mistura com o chão, escondendo a sua presença, e inserindo-se harmoniosamente com a natureza e paisagem.

Ca´Marcanda em Bolgheri

Ca´Marcanda em Bolgheri – foto: winenews.it

Finalmente a número 7 , é a adega Mezzacorona, na cidade de Mezzocorona em Trentino, o enorme complexo dedicado à produção de vinho, desenhado pelo arquitecto Alberto Cecchetto que, mesmo com o seu perfil baixo e integrada com a paisagem, não é evidente a primeira vista, e possui elementos da área circundante e comunica ao público o quanto dessa terra é transmitido para o próprio vinho.

E por fim, a revista de design americana DesignGrave escolheu as 10 vinícolas de design no mundo, e 2 escolhidas foram Toscanas. Entre elas temos a já citada neste texto Petra, que claro é uma unanimidade entre os arquitetos.

Foto: Colemassari.it

Foto: Colemassari.it

A outra citada foi a Poggio la Comare, della Collemassari, de projeto de Edward Milesi, que foi premiado em 2006, na terceira edição do International Sustainable Architecture Fassa Bortolo. A adega está localizada na Maremma, em Grosseto, cerca de 20 km das encostas do Monte Amiata no coração da DOC Montecucco. Abrange uma área de cerca de 300 hectares dos quais 70 são vinhas especializadas e 20 oliveiras. A renovação do castelo de Collemassari é assinado pelo mesmo arquiteto.

Foto: Colemassari.it

Foto: Colemassari.it

Fonte: Winenews.it , edição em revista e designcrave.com

Leia os nossos outros textos sobre vinhos na Toscana:
A moderna Cantina Antinori – por Marco Petrini
Bolgheri e seus encantos
O Vin Santo Toscano
Os vinhos da Toscana: a lista e as denominações
Enoturismo na Toscana: bons vinhos e lindas paisagens

A moderna Cantina Antinori, por Marco Petrini

Deixo vocês com mais fotos da Petra:



Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Deyse Ribeiro
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Participe e dê seu pitaco!