Passeio de barco pelos canais de Livorno

18/mar | por Deyse Ribeiro

O passeio de barco pelos canais de Livorno, chamada de Veneza da Toscana, é uma forma de conhecer a cidade de uma perspectiva diferente.

Livorno, cidade hoje conhecida pelo seu porto, onde os cruzeiros de várias companhias européias fazem parada, é uma cidade com características diferente das outras cidades típicas da toscanas que você já visitou ou que viu em fotos. O seu centro histórico não há as casinhas típicas como em San Gimignano, ou Siena, por uma razão.

Livorno foi fundada na segunda metade do século XVI, quando, por estratégias militares e comerciais do Medici, eles queriam construir um novo porto próximo ao Rio Arno. A antiga vila de pescadores construída em torno do Mastio de Matilde di Canossa torna-se rapidamente um dos principais portos do Mediterrâneo. Ali a família Medici ainda construiu uma nova fortaleza para defender o porto no fim do século XVI.

Mas a cidade, hoje grande e populosa cresceu no século XVIII por essa razão as construções hoje em grande parte visíveis são deste período. O fato de ser um porto muito frequentado por pessoas de diversas nações, contribuíram para o nascimento e desenvolvimento de uma cultura distinta, ainda estão presentes na arquitetura, nas igrejas, cemitérios históricos, folclore e na gastronomia local. Guardando o porto encontra-se a antiga Fortaleza, com as imponentes Mastio de Matilde (torre), ligando internamente pelos canais pela cidade à Fortaleza Nova, o coração da cidade.

Banhada pelo mar, que penetra através dos canais (Canali Medicei) no interior dos bairros históricos da cidade, Livorno tem o charme único na Toscana, com cara de Mediterrâneo. Sua história, tradições e cultura, pôr do sol lindo, tradições culinárias que demonstram esta ligação de Livorno com o mar.

Na cidade foram construídas no século XIX, os primeiros estabelecimentos balneares da Europa, juntamente com o nascimento da ideia de “férias na praia” para o italiano. Tesouros do mar preciosos são mantidos no Museu de História Natural e do Aquário. Livorno, casa da prestigiosa Academia Naval, que há mais de um século como os oficiais da Marinha, é o protagonista, a cada ano, do famoso  Trofeo velico, com a participação de equipes de todo o mundo. Eles são uma expressão das antigas tradições marítimas de até mesmo as competições de remo entre bairros da cidade, que acontecem nas águas ao largo Livorno e nos canais.

A bordo das embarcações que fazem o passeio  “giro dei Fossi Medicei”, ou seja, pelos canais que atravessam a cidade velha, é na verdade uma das maneiras mais inusitadas e divertidas para descobrir o coração da cidade velha, observando-o de uma perspectiva fascinante que revela os detalhes característicos e locais pitorescos. Basta pensar que, apenas da água é possível ver  ver a pedra que marca a fundação da cidade, datada de 1577.

A viagem de barco passa pelos locais principais de Livorno, começando com a Fortaleza antiga (Fortezza Vecchia), construção militar do século XVI símbolo tradicional da cidade, e a Fortaleza nova (Fortezza Nuova), e da Estátua “dei Quattro Mori”, ou seja, dos quatro mouros, e vai até a Igreja de Santa Caterina, que abriga uma valiosa pintura de Vasari.

O passeio passa pelo bairro histórico de Venezia Nuova: um distrito nascido “da água”, atravessado por pontes e canais, feitos inteiramente pelos mestres venezianos no início do século XVI, e que foi por muito tempo, casa de mercadores estrangeiros ricos.

Aqui, você pode entrar nos canais e praças, passeando pelos muitos  locais típicos que durante o principal festival da cidade, o “Effetto Venezia“, traz milhares de pessoas à cidade no início de agosto.

Navegando ao longo do canal real (Fosso Reale), é possível ver o edifício art nouveau grande, é o Mercado Central (tambem chamado de Mercato delle Vettovaglie), um exemplo espetacular da arquitetura do fim do século XVIII que ainda é considerado um dos mercado cobertos mais belos da Europa.

A tradição conta que Modigliani (pra quem não conhece um pintor e escultor italiano), desanimado com julgamentos das suas obras pelos seus amigos, teria jogado algumas de suas esculturas no canal real, bem na frente do Mercado Central, onde apenas da água é possível descobrir a entrada “segreta” para os armazéns da parte subterrânea, um portão na água de onde as mercadorias entram.

O Canal Real também leva à passagem sugestiva debaixo da piazza della Repubblica, uma praça-ponte considerada a mais larga da Europa e, sem dúvida, entre as praças mais características de Livorno.

a praça fica exatamente sobre esta ponte

O passeio termina pelo antigo Porto (Porto Mediceo) e do Farol do porto de Livorno, um das mais antigos na Itália.

E porque a navegação aguça o apetite, uma vez de volta à terra firme, não deixe de fazer um parada entre os muitos restaurantes locais que oferecem os pratos típicos de Livorno: o Caccciuco (falei dele aqui) uma sopa de peixe deliciosa (minha favorita), tainha, bacalhau e o famoso ponce (café com rum e limão).

Não deixe de visitar o interno do Mercado no centro histórico, o Museu Cívico Giovanni Fattori e o Aquário.

O passeio custa 12 euros por pessoa, eu fiz no verão em junho, mas ele  pode ser feito o ano todo, pela empresa Livorno in Batelo. Em alguns períodos do ano é possível ainda fazer o passeio com aperitivo.



Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Deyse Ribeiro
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Mapa

Participe e dê seu pitaco!