O Gioco del Ponte, ou Batalha da Ponte – manifestação folclórica em Pisa

21/jun | por Deyse Ribeiro

Conheça o Gioco del Ponte, a Batalha da Ponte – manifestação folclórica em Pisa que acontece sempre no último sábado de junho.

A Batalha da Ponte, o Gioco del Ponte, é o evento historicamente evocativo, que é dividido em dois momentos distintos, mas igualmente significativos: a procissão histórica ao longo do rio Arno, uma espécie de parada militar enorme, e a batalha que acontece na Ponte di Mezzo, onde as equipes  (12) dos bairros pertencentes aos dois lados do rio (6 de cada lado) dão prova de sua força física em um ambiente fortemente competitivo. São divididas as 12 equipes em Tramontana (6) e Mezzogiorno (6), dois lados do rio com 6 times cada um.

Algumas fontes tentam traçar as origens clássicas para o jogo. Não havendo uma resposta clara, acredita-se ter originado a partir de um jogo local, o Mazzascudo, que, a partir do XI ao século XIII, foi jogado como uma batalha simulada na antiga praça de Anciãos, hoje dos Cavaleiros.

O jogo era disputado entre jogadores de forma individual, equipados com armaduras, espadas e escudos. Depois, com o tempo, a batalha individual foi substituída por uma batalha geral com lutadores, divididos em duas equipes “Gallo” e “Mezzogiorno”.

A primeira edição da Batalha da Ponte conhecida é datada de 22 de fevereiro de 1568. A Ponte, local da Batalha, foi a Ponte Vecchia di Pisa, o que corresponde hoje à Ponte di Mezzo, e objetivo do jogo era a conquista de uma parte ou a totalidade da ponte ocupada pela facção oposta. Jogadores de Tramontana e Mezzogiorno foram divididos em equipes de números variados, cada uma composto por 50 ou 60 soldados. Cada equipe tinha suas próprias cores e bandeiras.

nas mãos dos soldados o mazzascudo

nas mãos eles erguem o mazzascudo

Os protagonistas da luta, com base em confronto físico direto, usavam uma armadura, um capacete chamado de “mazza” e o “scudo” (daí o nome mazzascudo), uma espécie de escudo de madeira de tília ou choupo – com mais de um metro de comprimento e pesando mais de cinco quilos – e assimetricamente oblongo, com extremidades arredondadas, que também foi indevidamente usado como uma arma.

A violência da luta sempre foi uma característica constante do jogo. O desejo de autonomia da dominação Fiorentina e exasperada agonia na ponte fez a Gioco da Ponte indesejável  e o Gran  Duca Pietro Leopoldo, depois de 1785, não concedeu permissão para fazer mais a Battaglia, que passou por uma pausa até 1807, liberada apenas um ano no século XIX.

Depois de um intervalo de 128 anos, o jogo voltou no século XX, em 1935, da mesma forma que as antigas tradições históricas. Após a guerra, a fim de evitar o confronto direto, foi criado um dispositivo mecânico, um “carro de ferro” ligado a um trilho, que deve ser empurrado pelos combatentes.

O evento é tradicionalmente realizado no último sábado de junho e, antes da luta, acontece o cortejo histórico com 709 participantes. As tropas de Tramontana e Mezzogiorno desfilam em ordem separada (dando origem a duas procissões distintas, de 314 participantes cada).

o “caro de ferro”

Também é notável o efeito dramático dos trajes usados ​​pelos componentes, que são do estilo século XVI espanhol, criados para a edição de 1935, com base nos esboços do crítico de arte Fortunato Belloni. A intensidade do esforço por 20 membros de cada equipe, todos de tamanho físico excepcional, é impressionante.

Gioco del Ponte

162

Gioco del Ponte

176

Gioco del Ponte

Durante a luta disputam sempre uma das equipes de Tramontana, representando os respectivos bairros (Santa Maria, São Francisco, São Miguel, Mattaccini, pontapés e Sátiros) contra os do Mezzogiorno (Santo Antônio, São Martinho, São Marcos, leões, dragões e golfinhos).

Como no antigo princípio que dá a vitória para a equipe que vence a Ponte, o carrinho é empurrado pelos adversários de cada lado na extremidade oposta do trilho deslizante. São 6 batalhas e a vitória final vai para o lado do rio com mais vitórias por disputa.

174

Em caso de empate (três vitórias por disputa), acontece uma  batalha decisiva entre duas seleções dos melhores lutadores dos dois lados.

Programa de 2017 –  sábado 24 de junho

17:15  – terá lugar na parte de Mezzogiorno, a cerimônia da Bênção das Bandeiras, renovando e reforçando uma tradição que tem suas raízes na história do jogo da ponte – Piazza XX Settembre
18.30 – desfile das crianças
18:45vestizione dei giudici – dos juizes
Após o ritual da “vestizione dei giudici” que tem lugar na Via Bovio, eles vão à Piazza XX Settembre, depois Via San Martino, Lungarno Galilei, Ponte da Fortaleza, Lungarno Mediceo, Pacinotti, a Ponte Solferino e, finalmente, Lungarno Gambacorti.
19:15 – desfile histórico
Um tiro de canhão estabelece a partida das procissões de Tramontana e Mezzogiorno, as duas partes, como é o caso durante séculos. O desfile de 2017 terá 723 figurantes e 41 cavalos.


Magistrature di Mezzogiorno inicia o percurso no Zerboglio, após o qual a partir de Piazza XX Settembre seguem em procissão de juízes – Corteo dei Giudici.
Magistrature di Tramontana inicia o percurso na Igreja de São Francisco e chegam na Piazza Garibaldi e, em seguida, Lungarno Pacinotti, Ponte de Solferino, Lungarno Gambacorti, Galilei, Ponte della Fortezza e Lungarno Mediceo.
20:45 : início combatimento
Depois da chegada do desfile dos dois lados com os “sbandieratori” (jogadores de bandeira) e bateristas, começa a ‘Chiamata a Battaglia’: a parte que perdeu no ano passado, neste caso a Tramontana, lança desafio para o Mezzogiorno, que através de seus embaixadores aceitam o desafio. A rejeição, obviamente, não existe! E neste ponto, finalmente, toda a Pisa para em suspense, esperando quem será o vencedor.
Os combatentes tendem cada músculo, numa tentativa para deslizar o carrinho na direção certa, e para neutralizar as forças opostas. Segue-se uma sequência de 6 lutas e a eventual desempate, decretando assim os vencedores de 2017.

Como comprar os ingressos:

  • os ingressos custam 10 euros
  • podem ser comprados diretamente  na sede da Comune (prefeitura da cidade) – segunda e sexta das 9 às 12.30, terça e quinta das 15.00 às 17.30 – Piazza Garibaldi.
  • são 3.000 lugares em tribuna (arquibancada), veja aqui onde ficam
Para maiores informações
Comune di Pisa
050-91.03.93/506
manifestazioni.storiche@comune.pisa.it
www.comune.pisa.it

Este slideshow necessita de JavaScript.

Que tal visitar Pisa comigo? Veja as nossas opções de tours particulares AQUI.

*Este post contém indicações para  serviços de afiliados. Para ver nossa política de monetização, clique aqui.

 



Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Deyse Ribeiro
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Mapa

Participe e dê seu pitaco!