As 7 Ilhas da Toscana

21/ago | por Deyse Ribeiro

Conheça as 7 ilhas da Toscana, e descubra que há muito mais do que as colinas e belas cidades. Escolha uma das sete belas ilhas que formam o arquipélago toscano: Giglio, Capraia, Montecristo, Pianosa, Giannutri, Gorgona e a ilha de Elba.

As ilhas da Toscana têm bem preservadas flora e fauna, com água tão cristalina que você pode ver cardumes de peixes até o fundo. Elas são tão bonitas que dizem que são presentes dos deuses, reza a lenda que quando a bela Vênus emergiu do mar, seu colar se quebrou e sete pérolas caíram, formando as sete ilhas da Toscana.

As ilhas da Toscana e suas águas circundantes estão sob a proteção do Parco Nazionale Arcipelago Toscano, o primeiro grande parque marinho da Itália e a maior área marinha protegida da Europa, pelo seu valor ambiental.

Enquanto turistas internacionais podem ignorar essas ilhas, os italianos já sabem há algum tempo e migram para as praias em julho e agosto. Você pode planejar visitar apenas um, ou conectar passeios de balsa de uma para outra ilha ou direto do litoral ou com a ilha de Elba como sua base. Cada ilha tem algo único para oferecer – basta escolher!

ILHA DE ELBA

A maior das ilhas da Toscana é a Ilha de Elba, e é fácil de chegar, sendo uma boa base se você quiser explorar algumas das ilhas próximas. A ilha ficou famosa como o exílio de Napoleão após o Tratado de Fontainebleau, hoje é conhecido entre os italianos pelo seu grande panorama, praias e clima.

Portanto, é melhor reservar com antecedência se você for visita-la em julho ou agosto, pois as praias se enchem de visitantes. A ilha em forma de peixe tem mais de 70 praias, excelentes trilhas para caminhadas e inúmeras baías e enseadas para explorar. Não é tão difícil chamar a ilha de Elba de um paraíso na terra, tornando assim a mais popular das sete.

A ilha é dividida por oito distritos; Portoferraio, Porto Azzurro, Campo nell’Elba, Capoliveri, Marciana, Marciana Marina, Rio Marino e Rio nell’Elba e Rio Marina.

Elba também é conhecida pelo seu vinho… o Aleático, falei dele aqui – 10 dicas do que fazer na Ilha de Elba. Já fiu a Elba diversas vezes e voltarei outras tantas… adoro!

Como chegar lá:

A ilha é conectada ao continente por um serviço de balsa diário (a distância entre Elba e a costa da Toscana é de cerca de 20 quilômetros), leva cerca de 40 minutos. Há diferentes opções de balsa (traghetto) para Elba, mas o mais rápido é pegar uma Balsa de Piombino. Veja nosso texto  – Como ir à Ilha de Elba. Certifique-se de chegar pelo menos 30 minutos antes e até 90 minutos antes, se você tiver um carro. Ou, você pode voar diretamente para a ilha para o aeroporto de Marina di Campo desde Pisa, Florença e Milão.

Leia os textos sobre a ilha:

ILHA DE GIGLIO

A ilha de Giglio, (Lírio em português) conta com uma população de 1553 habitantes, estende-se por uma superfície de 23,80 km², e situa-se a 16 km da costa Toscana. É a segunda maior das ilhas, pense na ilha toscana de Giglio como a irmã mais nova de Elba, muitas vezes ignorada por Elba, mas com uma oferta tão grande quanto. Embora agora seja talvez mais conhecida como o local onde o navio de cruzeiro Costa Concordia afundou em 2012, Giglio ainda tem muito a oferecer.

É uma ilha montanhosa, coberta por arbustos, matas, pinhais e vinhas. A costa da ilha é composta por rochas, e entre eles formam-se diversas baias de areia, com as suas águas de cor verde-esmeralda, limpas e cristalinas, a fauna abundante e a flora intacta, fazem deste lugar um paraíso e um mundo subaquático.

Uma das Cavernas
Fonte: Wikipedia Commons

A balsa (traghetto) irá levá-lo ao porto de Giglio, no lado leste da ilha, um ponto de partida perfeito. A partir daqui você pode contratar barcos, passeios e alugar equipamentos de snorkeling ou mergulho, ou simplesmente explorar os restaurantes e bares que se alinham à beira-mar!

As melhores praias da ilha de Giglio estão em Campese, no lado oeste da ilha, e você pode ver uma torre do século XVIII construída por Cosimo de Medici, o chefe da famosa família governante de Florença. Quando você não estiver na praia ou imersão em vistas da Toscana durante uma caminhada interior, vá ao  Giglio Castelo.

Eu fui a Giglio em 2014, por isso as fotos não são as melhores…

Os vilarejos da Ilha são:

  • Giglio Porto: é uma encantadora aldeia situada ao longo de uma enseada cercada por dois píeres e apoiado por uma colina com terraço com vinhedos. Veja aqui mappa-porto
  • Giglio Campese: está localizado na costa oeste, no meio de uma baía cercada por uma praia de areia, enriquecida pela presença de uma torre enorme construída no tempo de D. Fernando I, no final do século XVII e o início do século XVIII, quando ficou completamente isolada sobre as falésias, foi construída a ligação através de uma pequena ponte e foi usado como uma defesa contra os tunisianos durante o último ataque bárbaro no dia 18 de novembro de 1799.Veja aqui mappa-castello.
  • Giglio Castello: é onde fica a a Câmara Municipal. O local tenta preservar sua aparência antiga de uma aldeia fortificada, cercada por muralhas medievais altas com torres, formando um labirinto de ruas estreitas, cobertas por arcos, degraus íngremes e escuras esculpidas na rocha, e casas antigas encostados um ao outro dominadas por uma parede da antiga Rocca. Veja aqui mappa-campese.

Como chegar lá:

A cerca de 14 km da costa da Toscana, há duas empresas de balsas que levam você do Porto Santo Stefano (ilha de Elba) a Giglio Porto, que são: ToremarMaregiglio. Você também pode pegar uma balsa de Elba. A Acquavision faz somente no verão, opções de ida e volta de San Vincenzo – Porto Azzurro.

Leia o texto -> Tudo sobre as Ilhas de Giglio e Giannutri

 

ILHA DE CAPRAIA

A população da ilha de cerca de 400 pessoas manteve as características originais de Capraia quase completamente inalteradas.  No inverno a população chega a 200! Esta pequena ilha foi governada pela Grécia, Gênova, Pisa, piratas sarracenos do norte da África e até mesmo por Napoleão!

Embora todas as ilhas da Toscana ainda sejam relativamente selvagens em comparação com as ilhas cultivadas e coloniais como Córsega e Sardenha, a costa e a paisagem de Capraia são talvez as mais dramáticas com altas falésias, praias isoladas e terreno intocado no interior, perfeito para caminhadas. No sul, você pode até encontrar vestígios de um antigo vulcão extinto.

A água cristalina que rodeia Capraia a torna muito popular para os mergulhadores que querem ver a vida marinha abundante ou explorar sítios arqueológicos subaquáticos.

Já fui 2 vezes a ilha, e ja dormi la… logo logo sai um texto sobre ela…

Como chegar lá:

A Toremar oferece balsas de Livorno (porto mediceo) para a ilha de Capraia, uma ou duas vezes por dia durante todo o ano. A balsa demora cerca de 2,5 horas e a maioria dos horários permite uma viagem de ida e volta no mesmo dia, mas verifique duas vezes antes de fazer a reserva se esse for o seu plano. Antes de viajar, veja se estão abertas as viagens à Gorgona, porque em 2018 foram suspensas temporaneamente, mas nos outros anos tinha, e era possível fazer uma viagem de um dia para Gorgona. A Acquavision faz somente no verão, opções de ida e volta de San Vicenzo, Portoferraio – Marciana Marina (Elba).

ILHA DE MONTECRISTO

Foto: wikipedia Commons

Embora seja quase impossível visitar a ilha de Montecristo, os viajantes podem ter um vislumbre da grande rocha da vizinha Pianosa ou Giglio.

Montecristo é talvez o mais famoso do livro de Alexandre Dumas, O Conde de Monte Cristo, escrito em 1844, supostamente depois que Dumas se apaixonou pela pequena ilha depois de uma visita em 1842. Não é difícil de fazer, mas na verdade as descrições do livro não são t tão precisos para a ilha real.

Montecristo é a mais intocada e remota das ilhas da Toscana. A ilha era o lar de uma comunidade de monges até o século XVI, onde eles prosperaram na bela terra, vivendo em reclusão quase completa por décadas. Em 1971, Montecristo tornou-se uma reserva natural e agora está fechada para barcos e turistas sem uma permissão especial e muito reservada para proteger o frágil ecossistema da ilha.

Como chegar lá:

Visitantes muito determinados podem ser colocados em uma lista de espera através do Corpo Forestale di Follonica para obter uma permissão, mas esteja avisado que às vezes leva até dois anos para obter permissão, apenas 50 pessoas são autorizadas a desembarcar em Montecristo por dia e é proibido nadar, acampar ou pescar na ilha. O preço da admissão é de cerca de €50 por pessoa.

Para solicitar um visto Montecristo de um dia, você pode ligar ou enviar um email para a autoridade do Parque:

Corpo Forestale di Follonica
Tel. 0566 400 19 | Email: utb.follonica@corpoforestale.it

 

ILHA DE PIANOSA

Foto: wikipedia Commons

A única maneira de ver mais do que a praia de Pianosa é através de uma bicicleta guiada ou passeio a pé – mas vale a pena!

Apenas a 14 km de Elba, Pianosa é a ilha mais baixa do arquipélago toscano, apenas 29 metros acima do nível do mar. Na verdade, é o extremo nivelamento da ilha que lhe dá o nome, piano que significa baixo em italiano.

Além de Montecristo, Pianosa é a ilha mais isolada. Foi fechada ao público desde 1858, quando foi usado como colônia penal agrícola. Em 1970, a prisão penal passou para uma prisão de segurança máxima até ser fechada em 1998.

Foto: wikipedia Commons

Não deixe que a história áspera o detenha, o isolamento da ilha protegeu seu micro-ecossistema particular, permitindo que a flora e a fauna realmente assumissem o controle. Apenas 250 visitantes são permitidos diariamente para tomar banho de sol na praia de Cala Giovanna, mergulhar na água azul cristalina ou fazer passeios guiados de bicicleta ou a pé por toda a ilha, mas a permissão é recebida com bastante facilidade e vale a pena!

Este ano eu vou lá pela primeira vez! Logo logo teremos texto aqui!

Como chegar lá:

Por causa da proteção colocada nesta ilha da Toscana, as visitas só estão disponíveis através de uma agência de viagens. A balsa da Toremar está disponível às terças-feiras durante todo o ano a partir do Rio Marina, Elba (você teria que pegar outra balsa a Elba) ou o com balsa da Aquavision  está disponível a partir de Marina di Campo na Ilha de Elba, de San Vicenzo ou de Piombino.

 

ILHA DE GORGONA

Em dias claros você pode até ver a ilha de Gorgona da costa, ou de outras ilhas (como na minha foto acima, fiz desde a Capraia).

Gorgona é minúscula, e ainda é a ilha mais setentrional e apenas um ponto no mapa no mar da Ligúria. Em grande parte desabitada, o estabelecimento penal na ilha significa que só pode ser visitado com um guia e com uma série de controles pelo menos quinze dias antes da viagem. Embora uma jóia, esta é uma ilha em grande parte proibida.

Então, por que visitar uma ilha de prisão? Porque com uma população de apenas 300 a ilha é um paraíso natural. Vá ver a costa acidentada e enseadas espetaculares. Nade na água pura e não contaminada e aproveite as praias privadas. Há passeios de um dia organizados com guia que partem de Livorno, porém em 2018 não forma permitidos. Na verdade ainda nao forma escolhidos a empresa que fara o serviço e por causa de questões burocráticas este verão não foi aberta a visitas, mas esperamos em 2019!

Como chegar lá:

Esperamos 2019 – quando abrir colocarei aqui -> Mais longe das costas da Toscana, você pode tomar uma blasa de manhã cedo de Livorno para Gorgona às segundas-feiras ou aos sábados para uma viagem de um dia, o tempo o permitir. Como é uma prisão, os viajantes só podem ir à ilha em pequenos grupos acompanhados por um guia turístico.

ILHA DE GIANNUTRI

Giannutri – porto

Dizem que a forma de meia-lua da ilha de Giannutri inspirou as antigas civilizações que governaram lá, mas a inspiração pode ser encontrada facilmente na incrível paisagem da ilha.

Apenas um pouco maior que Gorgona, Giannutri é a ilha mais ao sul da Toscana. Giannutri é uma ilha principalmente rochosa, com apenas pequenos trechos de praia no norte. Em vez disso, vá mergulhar ou explorar a costa selvagem em caiaque no mar. Depois, siga para o interior para explorar as ruínas romanas do século I d.C. Você pode explorar as ruínas da villa Agripa onde a família do Imperador Nero viveu, as de um templo romano e o porto romano original.

Os mergulhadores podem passar horas explorando os naufrágios dos navios romanos nas águas cristalinas, mas não deixe de visitar as grutas de águas azuis, como a Cala dei Grottone.

Giannutri- praça

Como chegar lá:

Como Giglio, Giannutri pode ser alcançado a partir do Porto Santo Stefano (Elba) com a Toremar. No horário de verão também pode ser alcançado por balsa da Ilha Giglio usando a companhia de balsas Maregiglio.

 

*Este post contém indicações para  serviços de afiliados. Para ver nossa política de monetização, clique aqui.

 



Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Deyse Ribeiro
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Participe e dê seu pitaco!