Meus 3 museus preferidos em Florença, fora da rota turística – #MuseumWeek

30/mar | por Deyse Ribeiro

*Este post faz parte da blogagem coletiva do #MuseumWeek organizada pela RBBV (Rede Brasileira dos Blogs de Viagem).

Neste texto vou citar os meus 3 museus favoritos em Florença, fora da tradicional rota turística pela cidade. Mas antes, vamos entender o que é a #MuseumWeek.

O Twitter, para celebrar os seus 8 anos de existência, lançou uma iniciativa interessante que envolve diversos museus europeus.  A ideia principal é promover a aproximação diferente da arte e aos museus, o Projeto #MuseumWeek é uma proposta inovadora com objetivo trazer a Internet ao mundo dos museus e da arte através do Twitter. Durante esta semana, entre os dias 24 e 30 de Março, foram organizados dias temáticos que convidam os utilizadores desta rede social a interagir diretamente com os museus.

MEUS MUSEUS PREFERIDOS EM FLORENÇA:

Bom, como uma guia de turismo e talvez uma das maiores frequentadoras de Museus aqui em Florença, é óbvio que meu museu numero 1 seja o Uffizi, que de importância somente perde para o Louvre com relação as pinturas, mas pensando em escrever sobre meus museus preferidos, pensei que seria uma ótima oportunidade de contar sobre os meus museus preferidos, mas que praticamente não são visitados pelos turistas brasileiros.

Veja o texto sobre os principais museus de Florença aqui, e para visitas guiadas em portugues aos museus veja aqui.

Quando fiz o curso de Guia de Turismo, a alguns anos atrás, visitei TODOS os museus de Florença e monumentos, e pense que não são nada poucos, alguns me fascinaram pela sua beleza, pela curiosidade e por serem mesmo únicos no seu gênero. Por alguns tive uma paixão e que sempre que posso, passo e visito. Eis a minha lista, sem ordem de preferência:

1. MUSEO STIBBERT:

Museo Stibbert

Museo Stibbert

O Museu nasce da coleção de Frederick Stibbert, um inglês de mãe toscana que ao final de 1800 restaurou a Villa Montughi. Ele era um homem de negócios da época, e que tinha a paixão pelas “coisas antigas”, ou seja, era um colecionador de obras de arte de todo o tipo, como armaduras, quadros, esculturas, pratarias, armas, etc. Um verdadeiro antiquário, mas que não vendia as operas que comprava, mas exibia na sua casa,  transformando-a em um verdadeiro museu.

 sala mais impressionante

sala mais impressionante

A Vila em si é um importante exemplo de estilo do século XIX onde trabalharam alguns dos melhores artistas florentinos da época. Possui uma coleção de mais de 50 mil peças, talvez o exemplo mais importante do século XIX de “design Museum” na cidade, com vários objetos de arte como pinturas, porcelana, armaduras, e mobiliário antigo. A parte mais impressionante da coleção é definitivamente a coleção de armaduras,  da qual podemos encontrar armaduras japonesas, otomanas e europeias, com riqueza, e cenografia  de uma exposição internacional. Há ainda um jardim com um curiosos monumentos, esculturas, um templo egípcio e lugar ideal para crianças, além de ser bem romântico também.

Peça interessante é a roupa que Napoleão vestiu em Milão, quando foi coroado o Rei da Itália em 1805.

2. MUSEO DI CASA MARTELLI:

Esta casa não é nem tão bem conhecida aos próprios fiorentinos, mas é única na sua tipologia, mas é surpreendente.

Casa Martelli

Casa Martelli

A Casa fica em pleno centro de Florença, próximo ao Duomo e era a casa senhoril de uma família muito importante em Florença, os Martelli, possue um conjunto de obras de arte de grande importância, como quadros de Piero de Cosimo e Luca Giordano, Salvador Rosa, Beccafumi, etc, mas sobretudo é um museu para conhecer um pouco como era realmente a casa da burguesia fiorentina entre 1700/1800, com afrescos, móveis de época e muito história curiosa, pois eles eram grandes colecionadores e apreciadores de obras de arte.

casa martelli1

Os ambientes possuem jogos de monocromia, como na sala amarela, sala vermelha, possui ambientes privados, mas visitáveis como banheiros, quartos, salão de festas, “Jardim de inverno” (entre aspas porque é um local fechado por paredes, mas todo afrescado como um bosque e com banheira de mármore, para se sentir em meio ao bosque no centro de Florença), portanto há um fascínio único.

A Casa Martelli foi desta família ate 1986, e dada ao Estado Italiano em 1999.

3. MUSEU DEL BARGELLO:

Este é o Museu Nacional de Esculturas instalado em um palácio medieval do século XIII, o Bargello é o mais importante museu de escultura renascentista da Itália. Possui obras de grandes escultores do século XVI, entre elas o Baco, um outro Davi, o Bruto, todos de Michelangelo. Ainda, esculturas de Donatello, Verrocchio, Giambologna, Michelozzo, etc.

interno Bargello

interno Bargello

Infelizmente ele é esquecido um pouco pelos turistas em geral, porque muitos pensam que a Accademia é o museu que possui mais esculturas, pois o Davi esta ali, mas não na verdade a Accademia possui algumas das esculturas de Michelangelo, mas outras estão no Bargello.

Este Museu surpreende pelo local, edifício que funcionava como delegacia da época, onde se aplicava a pena capital, e pela sua coleção. O Bacco de Michelangelo, os Davis de Verrocchio e de Donatello fascinam e encantam. O primeiro andar ja com esculturas colossais dão arrepio só de pensar “como eles fizeram isso?”.

Então, quando vier a Florença, além de conhecer os Museus mais visitados como Uffizi, Accademia e Palazzo Pitti, não deixe de conhecer também os curiosos e interessantes museus Bargello, Stibbert e Casa Martelli. Ao fim deste texto, mais informações sobre esses museus, com horários, preços e endereços.

Eis outros Blogs da RBBV que participam da blogagem coletiva e também falam sobre seus museus preferidos pelo mundo:
Europa
Londres | Segredos de Londres – Tate Modern: meu museu preferido em Londres
Londres | London, Sô! – Museus mais visitados de Londres (e gratuitos!)
Espanha, Barcelona | Sol de Barcelona – Museu de Historia de Barcelona
França, Paris | O que Vi do Mundo – Museu Carnavalet
França, Amboise | Direto de Paris – Castelo de Amboise
Itália, várias | Brasil na Itália – MAV, Museo Egizio di Torino, Muse, MAXXI
Itália, Florença | Passeios na Toscana – 3 museus em Florença
Áustria, Viena | Cantinho de Ná – Museu de Historia Natural
Croácia, Zagreb | Viaje com Pedro – Museum of Broken Relationships
Berlim, Alemanha | A Fragata Surprise – vários
Américas
Brasil, São Francisco do Sul | Vida de Turista – Museu do Mar
Brasil, Rio de Janeiro | Coleção – Museu Nacional de Belas Artes
Brasil, São Paulo | Gosto e Pronto – MASP
Canadá, Vancouver | Outside Brazil – Museum of Anthropology
Colômbia, Bogotá | Felipe, o Pequeno Viajante – Museu Botero
EUA, Washington DC | Já Fomos – Museu de História Natural
Brasil e mundo | Do RS para o mundo – vários
EUA, Miami Flórida | Café Viagem Wynwood Walls
Fotos: em todos os museus citados é proibido tirar fotos ao interno, por essa razão uso fotos de Wikipedia Commons e página Google+ da Casa Martelli. Fotos externas são minhas.
Museo Stibbert:
Via Federico Stibbert, 26, Firenze – tel: 055 486049
Horário: de seg a quarta 10-14, de sex a dom 10-18
Fechamento: quintas, réveillon, natal  e 1 de maio, domingo de Páscoa, 15 de agosto.
Ingresso: €8  por pessoa.  Visite o site.
Este Museu faz visitas a cada hora, acompanhada, pois não possuem vigias nas salas.
Veja a opção de visita guiada com guia em português a este museu aqui.
Parco del Museo Stibbert
via Federigo Stibbert, 26 Firenze
A entrada é por outro endereço, e é gratuita nos dias:
Abril a outubro: 8.00-19.00
Novembro a Março: 8.00-17-00
Fechado as quintas, réveillon, natal  e 1 de maio, domingo de Páscoa, 15 de agosto
Casa Martelli:
Via Ferdinando Zannetti, 8, 50123 Firenze
Horário: quintas: 14.00, 15.30, 17.00
sábados: 9.00, 10.30, 12.00
Entrada grátis, mas com reserva obrigatória – valor da reserva €3,00, pelo numero 055 290383 ou firenzemusei@operalaboratori.com
Museo del Bargello:
Via del Proconsolo, 4, 50122 Firenze Tel:055 238 8606
Horário: das 08:15 as 17:00 – bilheteria fecha as 16:20
Fechamento: 2° e 4° segundas feiras do mês, réveillon, natal  e 1 de maio.
Ingresso:
€4  por pessoa.  Visite o site.
Veja a opção de visita guiada com guia em português a este museu aqui.

Leia também:



Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Deyse Ribeiro
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Participe e dê seu pitaco!

  • Oi Deyse,

    Visitei o Museu del Bargello na època em que eu estudava no Centro di Cultura per Stranieri da UNIFI. Foi uma visita guiada com uma professora de historia da arte, inesquecivel. Lembro-me tambèm que ele estava bem vazio, agora entendo o porque, quando voce diz que ele è meio esquecido pelos turistas. Para mim foi um dia incrivel.
    Acho que nem uma vida inteira em Florença basta para ver tanta coisa maravilhosa.
    Baci,

    Patricia

    • Ola Patricia, não sabia que você morou aqui, que legal. Pois é, é esquecido, por isso aberto somente de manhã, e as vezes o segundo andar fica até fechado por falta de pessoal, o que é realmente triste. Sou apaixonada com o Bacco de Michelangelo que fica lá, além das lindas esculturas de Verocchio… é um museu de se emocionar sim… Com relação aos museus, olha… tem muita coisa mesmo… ja descobri museu de tudo o que você puder imaginar, pois muitos são pequenos e privados, onde as pessoas comuns decidem homenagear alguém, ou tem uma grande coleção de arte, decidem abrir ao público, penso que vivendo em Florença e respirando arte acaba acontecendo com frequência. abs e obrigada pela visita. Quando vier aqui em Florença, trás alguns cannoli pra mim!!! hahahah

      • Morei em Florença somente dois meses, quando eu ainda nem imaginava que viria morar aqui na Itália. Eu já estudava italiano no Brasil e trabalhava para uma ONG ítalo-brasileira. Naquela ocasião me deram a oportunidade de acelerar meus estudos de italiano com essa experiência em Florença. Foi fantástico.
        Não vejo a hora de voltar à Toscana, tanto eu quanto meu marido amamos esta região. Pode deixar que levo uma caixa de cannoli rsrs. E imagine que os cannoli feitos para viagem são cobertos internamente por chocolate, para a casquinha não ficar mole. É o que há!

        • Ah e quando vier a gente se encontra! também adoro a sicilia! Terra de gente animada!!! abs

  • Puxa, já estive 3 vezes em Firenze e não conheci nenhum dos 3 🙁 a gente acaba sempre na rota turística mesmo 😛 já foram pra listinha!

    • Que bom que gostou Claudia. Florença tem sempre algo a mais pra ser descoberto. abs

  • Oi Deyse,
    Bacana suas dicas de museus em Florença.
    Quando ainda trabalhava para a Toscana, promovemos um evento super diferente: uma festa com DJ lá no Museu Stibbert, se chamava DJ in Museo. 🙂
    Bem, mas o que eu nem sabia que existia era esse da Casa Martelli. Vou guardar a dica.
    Até mais,
    Barbara

    • Pois é Barbara, a Casa Martelli é um tesouro escondido, dos muitos que Florença guarda, mas em parte por pura falta de publicidade! O Bargello que tem muito mais a oferecer que a Accademia por exemplo e vive vazio, o que é uma pena! A Casa Martelli tem quadros maravilhosos e as senhoras que fazem a visita guiada sabem cada história!!!! Até fofoca dos Medice… uma Martelli foi esposa di Cosimo I depois de Eleonora de Toledo e quando ele morreu os filhosos dele a mandaram para uma especie de convento/maricomio e a familia Martelli que era rica e poderosa com os Médice nao puderam fazer nada pra defender a filha… Florença e suas intrigas hahahah

  • Pingback: Castelo de Amboise – Onde o Renascimento desembarcou na França | Direto de Paris()

  • Oi Deyse,
    Não visitei nenhum desses museus quando estive na Toscana, fiquei com água na boca!
    beijo,
    Deb

    • Ola Deb, Florença é pra ser visitada sempre, como Londres e Paris… tem sempre um segredo a descobrir!!! obrigada pela visita. abs!

  • Pingback: Tudo que voce precisa saber para viajar para a Toscana | Passeios Na Toscana()

  • Pingback: Passeios na Toscana | Conheça os principais Museus de Florença()

  • Pingback: Passeios na Toscana | Dicas de Hotéis em Florença: como encontrar aquele que atende as suas necessidades()

  • Pingback: Passeios na Toscana | Firenze Card e Amici degli Uffizi Card – os descontos nos museus valem a pena?()