Cappella Brancacci: um local para entender o Renascimento

29/mar | por Deyse Ribeiro

Conheça a Cappella Brancacci, uma capela que virou Museu em Florença, por causa da sua grande importância na história e na arte mundial.

Aproveitando a semana do #MuseumWeek o blog participa de uma blogagem coletiva da RBBV (Rede Brasileira de Blogs de Viagem) sobre os museus pelo mundo, estão participando diversos blogs, veja a lista abaixo e viaje pelos museus do mundo!

Cappella Brancacci_2

A Cappella Brancacci é uma pequena capela que fica no interior da Igreja de  Santa Maria del Carmine, que era de propriedade da família Brancacci e che foi afrescada por Masolino, Masaccio e Filippino Lippi. A Igreja pertence à ordem dos Carmelitas, e como a Igreja de San Lorenzo, oferece uma fachada inacabada. Esta Capela é considerada um milagre, pois em 1771 a igreja foi destruída pelo um enorme incêndio que destruiu tudo em menos de 4 horas, mas as capelas laterais Brancacci e Corsini ficaram intactas!

No interior da capela você será capaz de admirar duas camadas de afrescos encomendadas em 1424 por Felice Brancacci, um rico mercador florentino. Os afrescos ilustram a vida de São Pedro e a criação.

Os afrescos foram realizados por Masolino da Panicale, que começou a pintá-los com seu pupilo Masaccio. Em 1428 Masaccio assumiu a parte de Masolino, que foi a Hungria a trabalho, e depois o próprio Masaccio teve que ir a Roma e, infelizmente, morreu mais tarde naquele mesmo ano, com apenas 27 anos (dizem que foi o próprio Masolino que o envenenou por inveja)! Depois os Bracacci foram exilados de Florença pela sua simpatia ai-Médice. As partes restantes foram preenchidos por Filippino Lippi só muito mais tarde, em 1480.

O que faz esta capela assim tão importante?

A obra de Masaccio na Capela Brancacci teve uma importância extraordinária no desenvolvimento do Renascimento, influenciando gerações de grandes mestres que vieram aqui para estudar e copiar as cenas maravilhosas de Masaccio. Giorgio Vasari escreveu que a capela era uma “escola para o mundo”, o ponto de partida para toda a pesquisa sobre a luz, perspectiva, cor e a plasticidade das figuras, uma verdadeira renovação artística.

Masolino, que era mais velho que Masaccio, ainda pintava de forma gótica (tardo-gotico) e Masaccio era a frente, foi um dos primeiros pintores Renascentistas. Por isso nestes afrescos é possível entender o início da pintura Renascentista e a sua transformação, a perspectiva, luz e sombras.

Estando de frente a este espetáculo (realizado pense, antes da descoberta da América), qualquer um fica estasiado, o olhar psicológico dos personagens, suas expressões, a perfeição da profundidade das paisagens e o realismo das cenas

Por aqui passou certamente Michelangelo, pois ele transportou esse estudo de luz e perspectiva de Masaccio ao ponto extremo  com os afrescos da Capela Sistina.

schermata tabletrid800

Clique abaixo para ver cada cena separada (link original do Museu*)

1 –  Masolino, La tentazione di Adamo ed Eva – A tentação de Adão e Eva
2 –  Masaccio, La cacciata di Adamo ed Eva dal Paradiso terrestre – A caçada de Adão e Eva do paraíso
3 –  Masaccio, Il tributo
4 –  Masolino, La predica di San Pietro – O sermão de São Pedro
5 –  Masaccio,Il battesimo del Neofiti – Batismo dos Neófitos
6 –  MasolinoLa guarigione dello zoppo  e la resurrezione di tabita – A cura do aleijado e ressurreição de Tabita
7 –  Masaccio, La distribuzione dei beni e la morte di Anania – A distribuição dos bens e a morte de Anania
–  Masaccio, San Pietro risana con l’ombra – São Pedro cura com a sua sombra
–  Filippino Lippi, San Pietro visitato in carcere da San Paolo – São Pedro recebe a visita de São Paulo na prisão
10- Masaccio e Filippino lippi, La resurrezione del figlio di Teofilo e San Pietro in cattedra – A ressurreição do filho de Teófilo e São Pedro em cátedra.
11- Filippino Lippi, San Pietro liberato dal carcere – São Pedro liberado da prisão
12- Filippino Lippi, La disputa dei Santi Pietro e Paolo con Simon Mago e la crocifissione di San Pietro – A disputa de São Pedro e São Paulo com Simon Mago e a crucificação de São Pedro

A capela foi recentemente restaurada, com a remoção da fuligem e sujeira acumulada, e das camadas de cola à base de ovo do século 18 que se tinha formado. Os afrescos agora têm um brilho intenso, tornando possível ver muito claramente as mudanças de ênfase entre a obra de Masolino e que de Masaccio (compare com a serenidade de Tentação de Adão e Eva do Masolino com a agonia torturante de expulsão de Adão e Eva do Paraíso de Masaccio). As cores são tão vivas hoje que é difícil acreditar que eles foram pintados mais de cinco séculos atrás.

IMG_7079

A disputa de São Pedro e São Paulo com Simon Mago e a crucificação de São Pedro *

Uma visita a Capela Brancacci é uma obrigação, especialmente se você é um estudante de arte ou adora arte para estudar a revolução da genialidade de Masaccio! Podemos apenas imaginar o que outras obras-primas que ele teria criado se ele tivesse vivido mais tempo.

Hoje a Capela é um museu municipal, e o preço do ingresso é somente a capela e não a igreja inteira. Mas quem visita a igreja vê o afresco somente de longe, por isso vale a pena visitar mesmo a capela.

dicas

Numa portinha, ao lado da entrada da Capela Brancacci, fica o Cenáculo realizado por Alessandro Allori em 1582. Não é necessário pagar nenhum ingresso, a visita é grátis! É lindíssimo, vale a visita.

Cappella Brancacci_1

Curiosidades e pontos importantes:

  • São Pedro pode ser reconhecido nos afrescos pelo vestido laranja
  • a direção da luz nas cenas é a mesma da janela no fundo da capela
  • a roupa de grande parte dos personagens são as do século XIV e não da época de Pedro, uma forma didática para que o leitor da obra se sentisse parte dela
  • Na cena San Pietro risana con l’ombra, a descrição de São Pedro curando os enfermos (à esquerda do altar, na segunda linha) mostra mendigos e aleijados com realismo revolucionário
  • Na mesa cena, o personagem com o chapéu vermelho é Masolino, enquanto o São João pode esconder um retrato do irmão de Masaccio, o Scheggia, ja o homem com o chapéu vermelho que se apoia em um bastão, foi indicado como um possível retrato de Donatello.
  • Na cena do Il battesimo del Neofiti, repare o efeitodetecidomolhadoqueMasaccio faz no cabelo e na sunga do personagem ajoelhado

    O retrato de Masaccio, Brunelleschi, Alberti e Masolino Foto -  Wikipedia Commons

    O retrato de Masaccio, Brunelleschi, Alberti e Masolino – Foto – Wikipedia Commons

  • Na cena La resurrezione del figlio di Teofilo e San Pietro in cattedra, identificamos muitos personagens da época. O grupo no canto direito são os grandes artistas da época: Brunelleschi, Alberti, Masaccio e Masolino; Já o Carmelitano em pé, gordinho a direita dos idosos, pode ser um retrato mais jovem de Filippo Lippi, pai de Filippino e aprendiz de Masaccio. A criança ressuscitada é indicada por Vasari como um retrato do futuro pintor Francesco Granacci aos quinze anos.

 

Informações para a visita:
Cappela Brancacci . Museu
Piazza del Carmine 14
Tel.055 2382195
De segunda, e Quarta a sábado: 10-17
Domingos e festas religiosas: 13-17
Fechado ás terças, 1 e 7 de janeiro, páscoa, 1 de maio, 16 de julho, 15 de agosto e 25 de dezembro
Ingresso: €6
  • Foto e link do site oficial do Museu, veja aqui.

**Este texto faz parte de uma Blogagem Coletiva da RBBV  (Rede Brasileira de Blogs de Viagem) sobre os museus pelo mundo, estão participando diversos blogs, veja a lista abaixo e viaje pelos museus do mundo:

Américas:
Uzi Por Aí – Museu do Ouro (Bogotá, Colômbia).
Felipe, O Pequeno Viajante – Museu de Ciência e Tecnologia da PUC (Porto Alegre – RS)
Sonhando em Viajar! – Museu Nacional da História Natural da Quinta da Boa Vista (Rio de Janeiro – RJ)
Blog Meu Destino – Inhotim (Brumadinho – MG)
Retrip Viagens – Museu de Arte Sacra (São João Del Rey – MG)
Do RS para o Mundo – Museu Histórico de Veranópolis (Veranópolis -RS)
Marola com Carambola – Memorial da Resistência de São Paulo(São Paulo – SP)
O que vi do Mundo – Museu do Futebol (São Paulo – SP)
Me Deixa Ser Turista – Pinacoteca, Estação Pinacoteca, Dops e Museu da Língua Portuguesa (São Paulo – SP)
Pequeno Grande Mundo – Museu de Ciências Naturais do Bosque da Ciência – INPA(Manaus – AM)
Rascunhos de Fotografia – Museu do Ceará, MAUC e Museu do Humor (Ceará)
Quebrei a Bússola – Museo del Holocausto (Buenos Aires – Argentina)
Vida de Turista – MALBA (Buenos Aires)
E aí, Férias – American Museum of Natural History (Nova Iorque – Estados Unidos)
Trilhas e Cantos – Museu Chileno de Arte Pre Colombino (Santiago – Chile)
Cantinho de Ná – Instituto Ricardo Brennand (Recife – PE)
Malas e Panelas – Vizcaya Museum and Gardens (Miami – Estados Unidos)
Embarque Portão 5 – Museo de Las Casas Reales (Santo Domingo – República Dominicana)
Viagens que Sonhamos – Field Museum (Chicago – Estados Unidos)
O Melhor Mês do Ano – Tumbas Reales de Sipan (Chiclayo – Lambayeque, Peru)
Colecionando Ímãs – Os Museus de Arte de Brasília (Distrito Federal)

Europa:
No Mundo da Paula – Museu Tate Modern (Londres – Inglaterra)
Aprendiz de Viajante – 5 museus não tão conhecidos para visitar em Londres (Londres – Inglaterra)
Londres com crianças – Museum of London (Londres – Inglaterra)
Segredos de Londres – National Gallery (Londres – Inglaterra)
Tá indo pra onde? – Deutsches Historiches Museum (Berlim – Alemanha)
Agenda Berlim – 03 museus para visitar na primeira vez em Berlim (Berlim – Alemanha)
Brasileiros Mundo Afora – Deutsches Technik Museum (Berlim – Alemanha)
Ziga da Zuca – Museu Judaico (Berlim – Alemanha)
Estrangeira – Museu Picasso (Barcelona – Espanha)
Territórios – Museu Dalí (Barcelona – Espanha)
Da Porta Pra Fora – Museu DOX (Praga – República Checa)
ITALIAna – Galleria degli Uffizi Florença (Florença – Itália)
Direto de Paris – Hôtel de Soubise – o palacete que virou arquivo e museu (Marais – França)
Descobrindo a Alemanha – EL-DE-Haus – Centro de documentacao do Nazismo (Colônia – Alemanha)
Esto es Madrid, Madrid – Reina Sofía (Madri – Espanha)
Meu Mundo Por Aí – Museo Del Prado (Madri – Espanha)
Mil e Uma Viagens – Mauritshuis (Haia – Holanda)
O Guia de Milão – Casa Museu Boschi di Stefano (Milão – Itália)
No Mundo com a Gente – Museu Casa de Rembrandt (Amsterdam – Holanda)
Comendo Chucrute e Salsicha – Museu de Belas Artes de Sevilha (Sevilha – Espanha)
Mosaicos do Sul – Museu Dalí (Saint Petersburg – Estados Unidos)
Turismo em Roma – Museu da Emigração Italiana (Roma – Itália)
Uma Brasileira na Grécia – Museu Acrópoles (Atenas – Grécia)
A Fragata Surprise – Museu da Acrópole (Atenas – Grécia)

Diversos:
Viajoteca – #Museumweek – 4 Museus pelo Mundo – Te Papa (Wellington – Nova Zelândia), Vizcaya Museum & Gardens (Miami – EUA), Pergamonmuseum (Alemanha – Berlin), Belgian Comic Strip Center (Bruxelas – Bélgica)
Viagem com a Thathá – Auckland Museum – (Auckland – Nova Zelândia)
Ideias na Mala – Angkor National Museum (Siem Reap – Camboja)
Viagens Invisíveis – 5 Museus Palácios no Marrocos (Marrakech e Fez – Marrocos)

 *atualizado 30.03.2015



Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Deyse Ribeiro
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Participe e dê seu pitaco!