Trekking no maior cânion da Toscana

26/set | por Deyse Ribeiro

Saiba como fazer um trekking no maior cânion da Toscana, em Orrido di Botri, perto de Bagni di Lucca na região de Garfagnana.

orrido-di-botri_1

Nem só de belos campos de girassóis, vinhedos e oliveiras é feita a Toscana, mas também de montanhas e cânions. Orrido di Botri é um desfiladeiro em uma das montanhas da região da Garfagnana, perto de Lucca, com falésias calcárias profundas, esculpidos pelas águas do Rio Pelago.

Também conhecido como o maior Cânion da Toscana, e é um ambiente único, caracterizado por montanhas que chegam a 2.000 metros de altitude. A reserva foi criada em 1971 e se estende por 286 hectares.

orrido-di-botri_12

A reserva está aberta nos meses entre junho e setembro, quando o nível da água é menor. A entrada é à pagamento (veja mais abaixo) e as caminhadas são bastante desafiadoras, mas o esforço será amplamente recompensado pelos pontos de vista e os sentimentos experimentados durante a caminhada. A primeira parte do canyon tem a forma do fluxo, então torna-se mais íngreme com paredes de 200 de metros, e a aventura fica cada vez mais espetacular.

DCIM100GOPROGOPR1783.

A flora é muito rica e variada com azinheira, plátano, salgueiro, samambaias, saxifrage, as sempre-vivas, columbines raras, auricola de prímula, hepáticas e muitos tipos de samambaias, bem como musgos, e outras plantas populares nas áreas pantanosas ao redor da “gola” dos desfiladeiros.

orrido-di-botri_21

A fauna de mamíferos é composto por esquilos, veados, marmotas, raposas, gambás e cabras selvagens. Ultimamente foram vistos alguns exemplares de lobo. Entre as aves, a mais importante é  a águia dourada, ou águia real (adotada como um símbolo da reserva), além de urubu, falcão, bufo-real,  pica-pau, e a perdiz vermelha, além de outros.

Lendas:

Como você pode imaginar, a origem de um nome tão incomum se escondem muitas lendas e histórias antigas.

O nome Orrido di Botri vem de um pastor chamado Botri que neste parque encontrou refúgio com o seu rebanho, depois de ser expulso por seus companheiros de vilarejo porque além de manco, tinha um aspecto terrificante. Segundo a lenda, o vilarejo foi atingido por uma grande fome, e os habitantes foram até Botri implorando-lhe para ajudá-los e para deixar seus rebanhos pastarem no parco. Botri respondeu jogando pedras, mas no decorrer da disputa escorregou, caiu de um penhasco e morreu. Desde então seu espírito habita o Orrido (ravina em português) expulsando os visitantes indesejados.

DCIM100GOPROGOPR1766.

Por esta razão, antes de iniciar a caminhada você deve efetuar um pequeno ritual que pedir permissão à Botri para entrar e não receber as pedradas dele.

O diabo é um visitante frequente de Orrido di Botri, por isso, durante a caminhada, você encontrará o jardim do diabo, a garra do diabo e uma rocha vermelha Trano que se diz ser desta cor porque queimado por sua cauda.

DCIM100GOPROGOPR1799.

Dica: leia sobre uma outra curiosa lenda, a Ponte del Diavolo que fica perto de Orrido di Botri  – aqui

Como visitar:

Os passeios partem do local chamado Ponte a Gaio, único acesso para os cânions, onde fica o  Centro Accoglienza del Corpo Forestale dello Statoou seja, o centro de recepção da Polícia Florestal do Estado e da bilheteira. Por causa das pedras escorregadias por causa da água e do rio, é obrigatório o uso de capacete e calçados adequados são recomendados, tênis e botas fechadas.
Para proteger o ambiente natural e para a segurança dos caminhantes, a reserva está aberta de Junho a Setembro.

orrido-di-botri_32

Centro de Accoglienza da Policia Florestale

Centro Accoglienza del Corpo Forestale dello Stato

Custo: 2 euros por pessoa pela entrada no percurso, recebendo assim o capacete, que vai depois restituído ao retorno.

Há a possibilidade de fazer passeios guiados ou você sozinho pode fazer o caminho.

Com guia:

DCIM100GOPROGOPR1780.

Há vários grupos que fazem esse passeio: a Vado e Vedo (€15 euros por pessoa) e o Ufficio Guide (€13 euros por pessoa). Eu fiz o passeio com o Ufficio Guide, e confesso que não gostei muito, achei que teve pouca explicação e os guias iam muito rápido… sou mais tipo “contemplativa” (lenta jamais! ;-))

Os tours duram 4 horas e tem mínimo de 8 ao máximo de 35 participantes. Partem sempre entre junho e setembro, das 9 às 10, do Centro Accoglienza del Corpo forestale dello Stato, em Ponte a Gaio. Somente é possivel fazer os tours, se você reservar com antecedência diretamente no site dos grupos de guia.

DCIM100GOPROGOPR1806.

Mesmo eu sendo guia de turismo autorizada na Itália, os guias que fazem esse tipo de passeio são outros, são chamados de Guias Ambientais e é um outro tipo de carteira profissional, diferente da minha, portanto eu não posso fazer esse tipo de tour (ufa!), só pra esclarecer. Portanto ao reservar esse tipo de passeio, acerte-se que esteja fazendo com um guia ambiental autorizado, nesses dois sites acima, são todos de guias profissionais. Infelizmente nenhum fala português! Somente italiano e inglês.

Sem guia:

Para ir sem guia, pague o ingresso no Centro Accoglienza, coloque o capacete que eles dão e pegue o mapa do local, não esqueça.

Não funciona celular no parque, portanto não confie no GPS do seu celular porque ele não vai funcionar.

DCIM100GOPROGOPR1804.

Minha opinião é que se você é uma pessoa que faz trekking de vez enquanto como eu, pode tranquilamente ir sozinho na alta estação julho/agosto/setembro, porque tem sempre gente e não ha risco de perder, ou se machucar e não ter ninguém para ajudar. Perder? acho difícil, porque você deve somente seguir o leito do rio… não saia dele sem guia!!! Há placas com nomes dos locais que cito abaixo para que você se localize.

orrido-di-botri_2

O percurso:

Primeiro, meus conselhos:

  • use tênis de trekking, aqueles impermeáveis, não o nike que você tem em casa! Lembre-se você vai caminhar na água, e em algumas partes, água ate quase aos joelhos
  • faça o percurso de bermuda ou short, pelo mesmo motivo acima
  • leve um casaco, mesmo que faça 35 graus, la na montanha a temperatura é mais baixa
  • leve roupas para se trocar depois da caminhada
  • leve um sanduíche e água ou compre no bar local la.
  • leve repelente e protetor solar

DCIM100GOPROGOPR1800.

Já os primeiros passos você sente a emoção de andar na água, tenha cuidado para não escorregar nas pedras cheias de musgo. Depois dos local chamado de “Prigioni” alguns metros depois fica o “Salto do Becchi”, daí a caminhada é um pouco mais difícil porque você está imerso em água até os joelhos e deve avançar ainda agarrados à cordas para evitar cair sobre as rochas.

orrido-di-botri_20

DCIM100GOPROGOPR1801.

Depois de 2 hs de caminhada, você chega a área chamada “piscina”, e dali a caminhada torna-se uma excursão de montanhismo real. Eu aconselho realmente a ultrapassar esse percurso somente quem é acostumado a caminhadas difíceis e montanhismo. Da “piscina”, que são mais ou menos 2, 5 quilômetros de caminhada da entrada, você pode voltar para Ponte a Gaio, dando um total de 4 hs de caminhada.

Mas se você quiser somente caminhar um pouco, e contemplar a região, pode ir somente ate o “Salto do Becchi”, meu trato de caminhada preferido.

Piscina

Piscina

Para obter informações sobre a visita do parque ou como chegar, por favor contacte o Ufficio territoriale per la biodiversità di Lucca ou diretamente o Centro accoglienza del CFS di Ponte a Gaio  pelo telefone + 39 0583 800020, sempre de junho a setembro.

As rotas, amadores ou desafiadores, são numerosos:

– Prato Fiorito – Fontana a Troghi – Foce di Campolino
– Rifugio Casentini -La Mandria -Cornice dell’Orrido di Botri – Rifugio Casentini
– Fontana a Troghi -Col delle Prada . Rifugio Casentini
– Ponte a Gaio – Fontanone – Rifugiani
– Ospedaletto – Foce a Giovo
– Ponte della Lucernola – Ospedaletto
– Foce di Campolino – Lago Piatto – Passo di Annibale – Foce a Giovo – Monte Rondinaio – Passetto

orrido-di-botri_8

Regras de conduta:

Na Reserva são proibidas todas as atividades que possam colocar em risco a preservação da paisagem, do ambiente natural, da fauna e da flora: em particular, é proibido: a perturbação da vida selvagem, fazer fogueiras, campismo, colher flores e plantas, a remoção de minerais e o abandono de resíduos de qualquer espécie. Ao caminhar longe de rotas autorizadas é proibido.

Vídeo do meu passeio:

Restaurante e piquenique:

orrido-di-botri_5

Em frente ao Centro Accoglienza fica um restaurante chamado Nido Dell’Aquilla, e uma área de piquenique. O restaurante oferece sanduíches e bebidas para quem quiser fazer um piquenique, além de deliciosas áreas para quem quiser descansar e comer no parque.

O restaurante funciona a partir das 12:30 até as 15, com massas e carnes, porém pare somente se você tiver muito tempo disponível! Gastei 30 minutos esperando uma mesa, 45 minutos pela entrada e desisti de esperar a massa, mesmo com muita gente indicado a comida dali como boa, o atendimento é muito lento.

orrido-di-botri_3

 

Como chegar:

Localizado a cerca de 900 metros acima do nível do mar, está localizado a cerca de 45 Km de Lucca. Não funcionam celulares lá, portanto não confie no Gps do celular!

Mapa para google maps aqui, ou veja abaixo.

Coordenadas para GPS: 44.082691,  10.603218

Solco Grandeu – Località Ponte a Gaio, 11, 55022 Bagni di Lucca LU, Itália
Pode ser alcançado por duas vias diferentes:

1) Percorrendo a statale 12 del Brennero (SS 12) até a localidade Fornoli, perto de Bagni di Lucca. Em seguida pegue a Provincial 56 em direção à Tereglio. De Tereglio siga as placas em direção à Ponte a Gaio – Orrido di Botri (estrada asfaltada sempre, mas estreita).
2) Percorrendo a statale 12 del Brennero (SS 12) passando por Bagni di Lucca, pegue a estrada em direção à Montefegatesi – Prato Fiorito. De Montefegatesi siga as placas em direção à Ponte a Gaio – Orrido di Botri. (estrada de chão em partes, mas pontos de vista muito charmoso)

Logo na frente do Centro Accoglienza há vários espaços para estacionamento.

orrido-di-botri_14

Informação:

Link Web:
Provincia: Lucca
Comune (municipio): Bagni di Lucca
Comunità Montane: Media Valle del Serchio
Localização geográfica: Appennino Tosco – Emiliano
Altitude: entre 634 m s.n.m. (loc. Ponte a Gaio) e 1.334 m s.n..m. (loc. Foggetta)
Extensão: 286 hectares
Ufficio Territoriale per la Biodiversità di Lucca  – tel. 0583-955525/26 – fax 0583-953775 Centro accoglienza del CFS
Ponte a Gaio – tel/fax 0583-800020
Comunità Montana Media Valle del Serchio Borgo a Mozzano, Lucca – tel. 0583-88346;
Comune di Bagni di Lucca tel. 0583-809911
Comando Stazione Forestale Bagni di Lucca tel. 0583-87651


Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Deyse Ribeiro
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Mapa

Participe e dê seu pitaco!