Basílica de San Miniato al Monte em Florença

04/dez | por Deyse Ribeiro

Conheça a linda Basílica de San Miniato al Monte de Florença, uma das mais interessantes igrejas românicas da Toscana, e que fica pertinho do Piazzale Michelangelo.

Basilica de San Miniato al Monte

Basilica de San Miniato al Monte

Localizada em um dos pontos mais altos de Florença, próximo ao Piazzale Michelangelo, a Basílica de San Miniato al Monte é considerada um dos mais bonitos exemplares da arquitetura românica florentina. Ela foi construída sobre o túmulo do mártir cristão São Minias (San Miniato), um rico armênio (é provável que fosse um príncipe), que se instalara em Florença. Depois que o imperador romano Decius emitiu um édito para a supressão do cristianismo no ano 250, perseguindo aqueles que praticavam a religião, Minias foi decapitado e enterrado em uma colina em Oltrarno. Uma igreja provavelmente foi erguida no local pouco depois que Minias foi enterrado, mas aquela que vemos atualmente foi construída muito mais tarde.

Curiosidade: uma lenda diz que, depois de ser decapitado São Miniato recolheu sua cabeça, cruzou a Arno e subiu o morro onde foi enterrado e onde agora fica a igreja dedicada a ele.

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_18

A história da Basílica

Lendas à parte, o registro mais antigo da igreja remonta ao ano 783 d.C. Em 1018, o bispo Hildebrando começou a construção da atual igreja que durou até 1207. No convento ao lado instalou-se uma comunidade de monges beneditinos. No final do século XIII foi construído ao lado da igreja o edifício conhecido como Palácio dos Bispos (Palazzo dei Vescovi), a antiga residência de verão dos Bispos de Florença. Posteriormente esse palácio se tornou um convento, depois um hospital e em seguida uma Casa dos Jesuítas. Em 1373 o mosteiro foi concedido aos monges olivetanos.

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja

Durante o século XVI, com o domínio da família Medici, visto a posição estratégica, a zona foi transformada em uma fortaleza e os monges acabaram abandonando o mosteiro. Mesmo assim, graças ao culto da população a São Miniato, a igreja permaneceu intacta. Os monges olivetanos (da Abadia de Monte Oliveto Maggiore, na província de Siena) retornaram somente no século XIX, quando também foi construído o cemitério monumental Porte Sante.

A manutenção da igreja foi financiada pela aliança Calimala – comerciantes de lã e tecidos – como evidenciado pela estátua no topo da fachada frontal da igreja, a qual mostra uma águia em pé em cima de um saco lã (o símbolo desta rica aliança).

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_27

Curiosidade: O campanário original caiu em 1499 e foi substituído em 1523, embora nunca tenha sido terminado. Durante o cerco de Florença, em 1530, foi usado como um posto de artilharia pelos defensores da cidade, por sugestão de Michelangelo. Protegido por colchões e fardos de lã, foi usado como base para os dois canhões que deveriam disparar sobre as tropas de Carlos V. Ainda hoje tem sinais dos disparos.

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_31

A fachada

A fachada, criada em 1090, foi construída com mármores coloridos. O padrão de mármore verde e branco viria inspirar Alberti, que o replicou na fachada de Santa Croce, no batistério e na fachada da catedral de Florença. O mosaico na fachada foi adicionado mais tarde, no século XIII, e retrata Cristo com Maria e São Miniato.

O jogo brilhante de luz que se cria quando o sol bate na fachada já é suficiente para fazer valer a pena esta curta viagem fora do centro da cidade.

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_9

O Palazzo dei Vescovi ou o Palácio Episcopal fica à direita, olhando para a igreja, e é habitado hoje pelos monges olivetanos, que também cuidam da basílica.

No alto da fachada há um mosaico que ilustra San Miniato segurando uma corôa à direita de Jesus. Nele está escrito: San Miniatus Rex Erminie.

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_5

Curiosidade: “Haec est coeli porta”, está escrito na porta à esquerda da Basilica (estando de frente para a fachada). Em latim,  “Haec est coeli porta” significa “esta é a porta do céu”. A inscrição, tratada nos Gênesis, refere-se às palavras proferidas por Jacob depois de ver os anjos que descem e sobem a Deus na famosa escadaria, e é relatado em várias igrejas cristãs. Neste caso, a inscrição se refere ao fato de que esta era a Porta Santa, a porta através da qual os florentinos poderia entrar em contato e se reconciliar com o Céu.


banner2

Que tal visitar Florença comigo?
Veja as nossas opções de tours particulares AQUI.

O interior da Basílica de San Miniato al Monte

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_3

O interior é dividido em três naves, com um belo piso incrustado com mármore e decorado com os símbolos do zodíaco no centro.

As paredes laterais são ricas em afrescos do século XIV e XV. O coro e o presbiterio contêm um magnífico púlpito românico realizado em 1207. A abside é dominada por um grande mosaico que data de 1297, e propõe o mesmo tema da fachada. O crucifixo acima do altar principal é atribuído a Luca della Robbia. A sacristia é decorada com um grande ciclo de afrescos que retratam a vida de São Bento.

A linda e requintada Capela do Crucifixo é um santuário de mármore renascentista que Michelozzo foi encarregado de realizar em 1448, sob ordem de Piero de ‘Medici para conter o chamado crucifixo de São João Gualberto, o qual já foi muito venerado mas que hoje se encontra em Santa Trinita.

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_15

Na nave esquerda da Basílica de San Miniato al Monte fica a Capela do cardeal de Portugal, construída pelo rei Afonso de Portugal entre 1461 e 1466. Esta capela é uma verdadeira obra-prima da Renascença de Florença. Ela abriga os restos mortais do neto do rei D. João I, Jaime de Portugal, que era Bispo de Lisboa, mas morreu em Florença quando era ainda muito jovem, em 1459.

A estrutura foi projetada por Antonio Manetti, discípulo de Brunelleschi, o túmulo do Cardeal (1461-1466) é obra de Antonio Rossellino. A capela é decorada com pinturas, pedra e mármore colorido. A abóbada de terracota vidreada do teto, representa as virtudes dos cardeais e é uma obra de Luca della Robbia.

A cripta

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_17

Datada do século XI, é certamente uma das partes mais antigas da igreja. Lá ficam os restos  mortais quem dizem ser de São Miniato e que estão ali desde 1013. A abóbada da capela foi pintada por Taddeo Gaddi e são ilustrados santos e profetas.

Astronomia na Basílica

Na Basílica de San Miniato al Monte há um meridiano que marca o solstício, e é um dos mais antigos ainda em funcionamento na Europa. No piso da basílica há um piso com desenho de zodíaco de mármore que data de 1207, e que no dia do solstício de verão , exatamente ao meio dia, por alguns momentos, é iluminado por um raio de sol no signo de Câncer. A redescoberta deste fenômeno astronômico dentro da igreja remonta a 2011, e desde então, no dia do solstício, o Museu Galileo, junto com estudiosos, realiza visitas no local, para saber mais veja aqui.

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_21

O cemitério

O Cemitério Monumental (conhecido como “das Portas Sagradas”) fora da Basílica também merece uma visita. Ele foi realizado em 1839 na área conventual, dentro do recinto fortificado criado por Michelangelo em 1529. Desenhado pelo arquitecto Nicolò Matas durante o período em que ele estava trabalhando na fachada de Santa Croce, que contém os restos de muitas celebridades como Carlo Collodi, o criador de Pinocchio, o político Giovanni Spadolini, o pintor Pietro Annigoni, o poeta e autor Luigi Ugolini, o produtor Mario Cecchi Gori, etc. Pode-se dizer que as várias capelas familiares pertencentes à burguesia florentina representam um verdadeiro repertório da arquitetura urbana da época: o estilo liberty, o art déco, o racionalismo e a arquitetura orgânica.

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_26

Curiosidade: No cemitério da Basílica de San Miniato al Monte foram e ainda são enterrados os florentinos que, por suas obras ou seu pensamento, ganharam a gratidão da cidade.

Um passeio pelo cemitério não é tão macabro, como muitos podem pensar, pois este cemitério possui obras de arte, lindas esculturas e pequenas capelas maravilhosas, que valem um passeio.

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_25

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_24

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_23

Canto Gregoriano

Na Basilica os monges realizam missas com canto gregoriano. Já escrevi um texto sobre os locais onde é possível ouvir o canto gregoriano, e ainda coloquei o vídeo do canto gregoriano nesta basilica, veja e leia o texto aqui.

 A lojinha dos monges

Não perca a pequena loja que funciona à direita, ao lado da igreja, que possui a placa “farmácia dos monges” você vai encontrar óleos excelentes e maravilhosos ervas e pomadas produzidas na Abadia de Monte Oliveto Maggiore, perto de Siena, bem como lembranças, livros com um tema religioso e guias da Basílica. Os monges fazem licores famosos, mel e tisanas, além de bolos e biscoitos.

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_7

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_6

E claro, não deixe de fazer muitas fotos do panorama magnifico da cidade que se tem lá de cima!

basilica-di-san-miniato-al-monte-florenca-igreja_32

Informações

Como chegar

A Basílica de San Miniato al Monte fica na via delle Porte Sante, a poucos metros di Piazzale Michelangelo. A partir da estação de Santa Maria Novella, pegue o ônibus nº 12 para o Piazzale Michelangelo.

Horários

A Basílica fica aberta de segunda a sábado a partir das 07:00 apenas para permitir a participação no canto e a celebrações de primeira comunhão. Após isso, ela fecha e rabre para visita das 9h30 às 13h e das 15 às 19h. Nos domingos e feriados, abre das 8h15 às 19h.

Missas: Domingos e feriados: 8h30, 10h, 11h30 e 17h30 (em Latino e canto Gregoriano). Nos outros dias: 7h15 e 17h30 (as duas em Latino e canto Gregoriano).

A entrada é gratuita.

Que tal visitar Florença com uma guia brasileira? Veja as nossas opções de tours particulares AQUI.

*Este post contém indicações para  serviços de afiliados. Para ver nossa política de monetização, clique aqui.


Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Deyse Ribeiro
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Mapa

Participe e dê seu pitaco!