Jardim e Villa Bardini, uma opção de passeio diferente em Florença

08/maio | por Revisão

Conheça o Jardim e Vila Bardini em Florença, um lugar onde arte e natureza se fundem e do qual se tem uma das vistas mais bonitas da cidade.

O Jardim Bardini é um oásis de paz em meio à natureza que nem todos conhecem, localizado muito próximo ao centro de Florença, ocupando boa parte do Oltrarno. Ele foi definido “o jardim dos três jardins”, enquanto é o resultado da união de três jardins diferentes desenvolvidos ao longo de sete séculos. É um verdadeiro terraço panorâmico e dispõe de uma superfície de 4 hectares, distribuídos em uma encosta de 70 metros.

Adjacente às muralhas medievais da cidade, a propriedade histórica tem sido um jardim formal desde o século XIII.

Leia também os textos:

Giardino Bardini

Um pouco da história do Jardim Bardini

A primeira fase histórica do jardim Bardini remonta à Idade Média, no século XIII e era originalmente propriedade da influente família Mozzi que era proprietária de várias casas e terras, incluindo a chamada “colina Montecuccoli”, que atualmente é ocupada pelo Jardim.

No século XVII, a área hoje ocupada pelo jardim Bardini foi dividida em duas propriedades: os Mozzi ficaram com o lado leste e Giovan Francesco Manadori ficou com o lado oeste, onde este mandou construir a Villa Manadora, que já na época era admirada por suas vistas extraordinárias sobre a cidade.

No século XVIII, o imóvel passou pelas mãos de diversos proprietários e os dois terrenos foram sendo gradualmente embelezados, aproveitando-se da posição panorâmica do lugar. Giulio Mozzi, um grande amante de jardins, contribuiu para a nova decoração da escada, que foi enriquecida com mosaicos e estátuas de personagens em trajes rurais, presentes ainda hoje.

Em 1839, as duas propriedades voltaram a ser uma só. No entanto, no decorrer do século, a propriedade incorreu em um declínio inexorável, devido às dificuldades econômicas da família. Em 1880 o complexo foi comprado pelos príncipes Carolath von Beuthen, que serão os proprietários até 1913, dando ao jardim elementos de estilo vitoriano.

Em 1913 a propriedade foi comprada por Stefano Bardini – famoso e rico comerciante de antiguidades do início do século passado – renomeado e restaurado, deixando os jardins originais intactos. Ele renovou todo o complexo, adaptando-o às suas necessidades, dando-lhe um aspecto ainda mais eclético do que já tinha.

O jardim, enriquecido por elementos decorativos de várias origens, reunidos com o gosto pessoal do colecionador, que nada exclui, torna-se um labirinto de armadilhas para o apreciador de arte, o que tem dificuldades em reconhecer o material real daquele falsificado, as reproduções com inserções modernas das obras autênticas.

Em 1965, com a morte do filho de Stefano Bardini, iniciou um longo e complicado processo de herança, que só terminou em 2000, com o envolvimento do banco Ente Cassa di Risparmio di Firenze, através da Fundação Bardini Peyron , que atualmente administra a propriedade.

Os Jardins Bardini e e a Villa ficaram muitos anos fechados e só foram reabertos ao público em 2005, após cinco anos de reformas. Muita gente ainda não sabe sobre os jardins, o que é uma pena. É um dos poucos lugares em Florença onde você pode se sentir em paz. Assim, apresenta uma situação excepcional e única: o jardim representa uma parte da cidade de Florença e também um pedaço de história urbana. Se passeia em sete séculos de história que deixaram no jardim uma densidade de ideias, coisas, objetos, beleza e natureza.

Como é o Jardim Bardini

Tal como o Palácio Pitti e os Jardins Boboli, este parque foi a casa e o parque infantil para os ricos, uma vitrine de riqueza e um lugar para festas opulentas. Hoje, as áreas temáticas são mantidas: existem vários jardins, como o italiano, o Inglês e as áreas anglo-chinês. Há rosas, pomares, prados e bosques. Fluxos artificiais fluem entre as plantações. Um caminho pitoresco coberto por glicínias leva a variedades raras de camélias, hortênsias e peônias.

O jardim é dividido em três partes:
– Bosque inglês no oeste
– a escadaria barroca no centro
– o pomar leste

A partir da entrada, na Via dei Bardi 1, onde está a bilheteria, seguindo a rota da visita, você entra na parte inferior do jardim, onde se encontra imediatamente o jardim de rosas e, em seguida, uma estátua de Vênus em um nicho. Continuando, encontramos o jardim de peônias que leva até a gruta rústica e à pérgula de rosas, com uma pequena gruta ao lado das estátuas de Vertumnus e Pomona.

A Escadaria Barroca

A Escadaria Barroca atravessa centralmente o jardim e nos leva para o elemento mais peculiar do complexo: o esplêndido mirante com vista para Florença. Do gramado em frente ao mirante a escadaria vai descendo em direção ao rio arno, com um desnível de cerca de 100 metros, delimitada pela fonte de parede no lado oeste e ao longo da qual há seis nichos decorados com fontes de arenito em forma de concha.

Paralelamente à escadaria foram plantadas íris das variedades modernas: o jardim, assim, se caracteriza por escolhas botânicas que deliberadamente alternam elementos pertencentes à jardinagem tradicional da Toscana, com escolhas contemporâneas.

Aos pés da escadaria fica um jardim de flores, na parte menos íngreme onde foram colocadas plantas herbáceas, gramíneas e bulbosas. A escada termina com túnel de rosas banksias dentro do qual estão posicionados quatro bustos de pedra encontrados durante as obras de restauração.

O pomar

A parte agrícola do jardim oferece aos visitantes uma coleção de frutos de antigas variedades da Toscana e também planta em espaldeira: do pomar voltamos através do túnel de glicínias e hortênsias (com sessenta variedades diferentes) até o mirante, atrás do qual, no início da primavera, floresce o jardim de camélias, ao longo das muralhas urbanas da cidade.

A partir daí se entrar no jardim anglo-chinês, onde originalmente um sistema de canais e cachoeiras (parcialmente restaurados) tornava este lugar ainda mais especial.

A villa Bardini e os museus

Hoje em dia a villa Bardini, o casarão localizado dentro dos jardins, é um espaço expositivo e museal, onde se encontra inclusive um restaurante de 1 estrela Michelin. Além de exposições temporárias, na Villa Bardini há dois museus, o Museo Pietro Annigoni, dedicado ao grande pintor Milanese, e o Museu de Roberto Capucci com os extraordinários vestido-esculturas do famoso designer de moda.

O Museu Pietro Annigoni

Inaugurado em 2008, o museu dedicado a Pietro Annigoni apresenta uma seleção de obras de vários períodos, técnicas e sujeitos que pertenciam à coleção do artista. Sendo desde sempre um pintor realista, Annigoni perseguiu uma pesquisa forma destinada à representação da realidade e, tomando como modelo a arte do Renascimento, adotou antigas técnicas já não mais usadas.

 

Este museu apresenta a mais importante coleção de quadros e bustos do artista. Entre as obras mais importantes apresentadas na Villa Bardini estão a primeira e a terceira pintura da série de “Solitudes”, “Cinciarda” e o famoso “Auto-Retrato”, de 1946.

 

O Museu Roberto Capucci

O museu Roberto Capucci, na villa Bardini, é um espaço de exposição inteiramente dedicado ao grande designer romano. Inaugurado em Outubro de 2008 com a exposição temporária “Back to the Roots” é agora um museu permanente com esboços, fotografias e sobretudo os famosos vestido-esculturas que tornaram célebre Roberto Capucci.

Outras dicas

Como chegar ao Jardim e Villa  Bardini

A entrada para o Jardim Bardini fica na Via dei Bardi 1 rosso e na Costa San Giorgio 2, Florença.
De carro: da Piazza Francesco Ferrucci siga o caminho  para Viale Michelangelo, Via dei Bastioni, Via di Belvedere, Costa San Giorgio.
De ônibus: da estação de Santa Maria Novella pegue a linha 23 (parada Lungarno Torrigiani, Piazza dei Mozzi) ou o ônibus elétrico D (parada Torrigiani)
A pé: da estação Santa Maria Novella são cerca de 15 minutos

Horário de abertura
O Jardim Bardini fica aberto todos os dias, respeitando os seguintes horários:
8.15 – 16.30 (nos meses de Novembro, Dezembro, Janeiro e Fevereiro)
8.15 – 17.30 (no mês de Março)
8.15 – 18.30 (nos meses de Abril, Maio, Setembro e Outubro)
8.15 – 19.30 (nos meses de Junho, Julho e Agosto)
O museu não abre na primeira e na última segunda-feira de cada mês e nos feriados de 1º de janeiro e 25 de dezembro.
Ingressos
Jardim
– Bilhete inteiro: € 7,00
– Reduzido: € 3,5,00
– Entrada gratuita para menores de 18 anos (apresentando documento de identidade) e portadores de deficiência. Grátis para todos no primeiro domingo de cada mês.
A validade diária do bilhete é cumulativa com os Jardins de Boboli, a Museo del Costume,  o Museo degli Argenti e o Museu da porcelana, mas pode variar de acordo com as exposições temporárias que podem ser feitas durante o ano nestes museus.Villa Bardini
Bilhete inteiro: € 8,00;
Reduzido: € 6,00 (reservado aos visitantes de 7 a 14 anos, estudantes, grupos de 10 pessoas e aqueles em posse do biçhete do Museu del Novecento,  Museu Palazzo Vecchio, Forte Belvedere.)

 



Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Revisão
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Mapa

Participe e dê seu pitaco!