Roteiro de 7 dias na Toscana

09/jun | por Deyse Ribeiro

Veja uma ótima opção de roteiro de 7 dias na Toscana, para conhecer bem a região e desfrutar o que ela tem de melhor. Várias ideias e dicas!

Toscana é uma das mais belas regiões de Itália, com cidades medievais, cheias de lindas colinas repletas de vinhedos que produzem alguns dos melhores vinhos do mundo, uma paisagem encantadora de vinhas e de ciprestes. Há muitas coisas para ver e fazer na região, a parte mais difícil é realmente decidir como encaixar!

Valle D'Orcia_15

Sete dias seria a quantidade ideal de tempo, apesar de que, como você poderá ver, ainda faltará muita coisa, mas é um começo para quem está visitando a região pela primeira vez.

Sempre que indico o roteiro, vocês devem ter em mente que o transporte é a parte fundamental para quem quer viajar pela Toscana. Eu recomendo explorar esta bela região de carro (veja como alugar um aqui).

Não sabe qual cidade fazer de base? Sobre este “dilema” eu já escrevi, saiba mais clicando aqui. Claro, não esqueça de ler as minhas dicas de como montar seu roteiro na Toscana.

big_visitare_mappa_toscana_med

Dias 1 e 2: Florença

Por ser o berço do Renascimento, Florença tem uma alta concentração de arte e história em suas ruas, igrejas e praças, tanto que você realmente não precisar entrar em um museu para ver obras de arte que marcaram a história da humanidade. Quem caminha por Florença passeia por séculos e séculos de história.

Florença tem origem Romana, foi fundada no ano 59.a.C. A capital da Toscana traz hoje em seus prédios e praças a herança de um período fértil para a arte e a ciência: o Renascimento. Durante os séculos 16 e 17, Florença foi o maior centro criativo de toda a Europa. Ela foi governada por 300 anos pela família de banqueiros Medici, que investia pesado no conhecimento em várias áreas, e por isso Florença ficou para sempre ligada a nomes como Dante Alighieri, Maquiavel, Michelangelo, Botticelli e Leonardo da Vinci.

Florença

Basta passear pela Piazza del Duomo para ver a impressionante Catedral de Santa Maria del Fiore (também chamado Duomo) com a sua magnífica cúpula projetada por Brunelleschi no século 14, o Campanário de Giotto e o Batistério. Uma vez na Piazza della Signoria, com seu imenso Palazzo Vecchio, é possível admirar a cópia em mármore de uma das estátuas mais famosas do mundo, o David de Michelangelo, e na praça ainda há numerosas estátuas. Nas praças de Santa Maria Novella, Santo Spirito e Santa Croce há Basílicas maravilhosas e que valem a visita.

Atravesse o outro lado do rio Arno, atravessando o Ponte Vecchio e conhecendo a região dos artesãos da cidade, dos antiquariados e vá subindo até o Piazzale Michelangelo, a melhor vista da cidade!

Aqui vão alguns textos e conselhos para aproveitar a cidade e ajudar a montar seu roteiro:

natal florença mercado_26

No primeiro dia indico um city tour de Florença de 3 ou 6 hs  conhecendo as histórias dos monumentos, e as curiosidades.

No segundo dia indico um passeio pelos museus ou um passeio gastronômico pela cidade.

Se você tem vontade de aproveitar, digamos, a cidade com um transporte diferente, pode optar por conhecer a cidade de:

  • bicicleta – pode alugar uma aqui
  • dar uma volta de Ferrari, veja aqui
  • fazer um tour com uma Fiat 500, veja aqui
  • ou fazer um passeio de Vespa, veja aqui

capa aperitivo florença

Quer fazer algo diferente?

Dia 3: Pisa e Lucca

pisa_9

No seu terceiro dia vale a pena começar a explorar o interior da Toscana: você pode ir a Pisa pela manhã para explorar a famosa Piazza dei Miracoli e admirar a famosa torre inclinada de perto. Tire um tempo para visitar o interior do Duomo, o Batistério e o Camposanto. Veja fotos da cidade aqui.

Pisa foi, desde os tempos do Império Romano, um importante porto do Mediterrâneo. Depois, como cidade-estado independente, Pisa tornou-se uma das famosas Repubbliche Marinare (repúblicas marítimas) italianas e chegou a ser tão importante quanto Gênova, Veneza e Amalfi. As magníficas obras arquitetônicas de Pisa são da época do apogeu de sua riqueza e glória, quando ela tinha terras na África e na Ásia. Naquele tempo, correspondente ao final da Idade Média, Pisa teve tantos e tão influentes artistas que deu nome a um importante estilo: o pisano, uma espécie de românico com reflexos islâmicos. Pisa é uma fascinante cidade, com fachadas em mármore policromado, elegantes ruas ao longo do rio, museus repletos de obras-primas dos mais altos padrões, comemorando o esplendor desta venerável república naval. Pisa tem muito mais além da Torre!!!

Foto: Wikipedia Commons

Foto: Wikipedia Commons

Depois de um bom almoço, siga para Lucca à tarde. Lucca é uma pequena cidade fechada dentro de enormes muralhas renascentistas que hoje se tornaram um parque: alugue uma bicicleta para explorar e visualizar Lucca de todos os ângulos. Dê um passeio pelo centro histórico da cidade, vá ver o Duomo, a forma oval peculiar da Piazza dell’Anfiteatro e suba ao topo da torre de Guinigi com as suas curiosas árvores centenárias! Veja como ir a Lucca

Tempo limitado? Faça um tour das duas cidades, a guia lhe acompanha por ambas as cidades e te mostra exatamente o que vale a pena, sem perda de tempo e com tranquilidade! É possível ir até essas 2 cidades de trem a partir de Florença.

Tirrenia

Tirrenia

Veja como ir a Lucca aqui.

Vai passear durante o verão? Na cidade de Pisa você pode aproveitar e ir às praias (sim minha gente, Pisa tem praia, a 6 km do centro, mas é sempre município de Pisa), e perto de Lucca há varias praias também, veja aqui.

DIA 4: Chianti

vinho_5

Na área entre Florença e Siena fica a bela região de Chianti , famosa pelo seu excelente vinho tinto que é conhecido em todo o mundo. As colinas cobertas de vinhedos se alternam com olivais, cada curva na estrada oferece uma vista panorâmica da região do vinho. O Chianti é uma região vinícola muito extensa na Toscana, é um território poético, com um vinho excelente, e que te traz uma emoção única. O espetáculo começa percorrendo a antiga estrada cheia de vinhedos com paisagens de cartão postal, com o clássico cipreste que faz de sentinela até Greve in Chianti. Sua área vai desde o oeste de Pisa, muito perto do litoral, área de Arezzo, até o leste e sul de Siena passando por Florença. Dentro do Chianti DOCG há oito subzonas definidas, que estão autorizadas colocar no rótulo o nome Chianti e sua origem.

A primeira parada, sem dúvida, deve ser em Greve in Chianti para explorar sua praça em forma peculiar e todas as lojas em seu perímetro. Continue ao longo de Panzano in Chianti, parando para caminhar por suas ruas antigas da cidade e para tirar fotos da aldeia. Em seguida, siga para Castellina in Chianti a passeie em torno do pequeno centro e percorrendo as muralhas da cidade.

piquenique_1

Fazer uma degustação de vinhos nesta região é obrigatória – a parte mais difícil será decidir onde! Mas atenção, somente se faz a visita às adegas das vinícolas, com uma visita guiada e com degustação especial, quem reserva com antecedência, por isso não perca tempo e preocupação e reserve um tour pelas vinícolas do Chianti com uma guia brasileira!

Outra opção é fazer um piquenique nos vinhedos, saiba mais esta opção no texto:  Piquenique no Chianti em meio aos vinhedos ou ainda um passeio de balão nas colinas do Chianti.

balão_2

Viajar entre setembro e outubro nessa região é uma ótima ideia porque as uvas estarão prontinhas para serem colhidas, e pode acontecer de você ainda assistir a “vendemmia”, a colheita de uvas que ocorre entre esses dois meses. Já se você viajar entre novembro e dezembro, vai ver as azeitonas prontas para serem colhidas, veja aqui como ela acontece.

DIA 5: Siena e San Gimignano

DCIM100GOPROGOPR1245.

 

Na Toscana é possível retornar à Renascença em Florença, e em Siena você volta à idade média! O centro da cidade fica em um terreno colinar, por isso você pode esperar um pouco de escalada, mas a cidade é muito pequena e os principais pontos turísticos ficam próximos um do outro. Você pode começar seu passeio na Piazza del Campo, famosa por sua praça de forma particular e por causa do Palio de Siena, uma corrida de cavalos entre os bairros da cidade que ocorre duas vezes a cada verão, dos dias 2 de julho e 16 de agosto. Ainda tem o Palazzo Comunale e a torre del Mangia, oferecendo uma vista impressionante da praça e da cidade. Veja fotos da cidade aqui.

O Duomo, exemplo de catedral em estilo românico-gótico italiano, possui um tesouro à espera de ser admirado, seu piso! Não deixe de visitar o Batistério, a cripta e o museu Opera.

Veja onde estacionar em Siena

DCIM100GOPROGOPR1291.

Veja uma dica -> O percurso de Santa Catarina em Siena aqui.

Depois visite uma cidade próxima, San Gimignano, apreciando as vistas incríveis e a paisagem no caminho, parando para apreciar a vista das torres medievais antes de chegar lá. Aproveite o resto do dia em San Gimignano, e como a maioria dos visitantes faz, deixe a cidade depois que o sol se por, dando-lhe a oportunidade de desfrutar de um passeio tranquilo pelas suas ruas mágicas, voltando no tempo. Certifique-se de provar a especialidade local, a Vernaccia, o vinho branco de San Gimignano. Veja fotos da cidade aqui.

san gimignano_13

Você sabia que o melhor gelato do mundo fica lá? Leia aqui.

Você pode fazer este passeio com almoço em um vinícola em San Gimignano com as guias brasileiras, fazer somente um tour em Siena, ou visitar San Gimignano junto com Volterra ou Chianti.

Ainda em Siena há algumas opções de shows, veja aqui.

Dúvidas de como chegar a Siena? Veja as melhores opções de ônibus e trem aqui. E se for de carro, veja onde estacionar aqui.

DIA 6: Val d’Orcia

Valle D'Orcia_3

 

O Val d’Orcia é outra região da Toscana famosa por suas paisagens deslumbrantes e excelentes vinhos tintos. Castelos medievais, colinas, cidades antigas, belas vilas, casas isoladas, ciprestes, vinhas fabulosas e olivais, campos de trigo da cor do ouro são apenas alguns dos elementos que compõem as paisagens fantásticas e harmoniosas do Val d’Orcia! Ela é atravessada pelo rio Orcia, que dá origem ao nome do vale,  e que fica entre as províncias de Siena e Grosseto. Toda a área é agora um parque protegido e foi reconhecido como Patrimônio Mundial pela UNESCO desde 2004. O principal protagonista do Val d ‘Orcia é, na verdade, uma natureza intocada e bonita, com cores sempre em mudança de acordo com as quatro estações do ano.

A região oferece muito para ver, como as ruas medievais de Montepulciano, as pitorescas cidades de Pienza e MontalcinoA área é conhecida mundialmente por seus vinhos DOCG Brunello di Montalcino e Vino Nobile di Montepulciano, e degustar vinhos é algo excelente para fazer em cada parada.

Montalcino_19

A estrada que leva até Montalcino serpenteia pelas vinhas e campos abertos dos produtores de um dos mais requintados (e caros) vinhos da Itália, o Brunello di Montalcino. Em meados de setembro ocorre a colheita (vendemmia) das uvas Sangiovese Grosso. Para quem não sabe, o vinho Brunello é feito 100% com esse tipo de uva, não há misturas. Veja como chegar à cidade aqui.

Se você gosta de queijo, você está no lugar certo! Pienza é também muito conhecida pelo seu famoso queijo. Seu sabor é tão especial devido às ervas particulares com as quais se alimentam os rebanhos de ovelhas neste belo vale. Ela foi uma cidade bem planejada durante o renascimento, e por isso é cheia de belos palácios! Veja fotos da cidade aqui. Veja como chegar à cidade aqui.

Pienza 3_1

Montepulciano está situada em uma colina com vista para o Val d’Orcia e o Val di Chiana. Lá há belos palácios do século XVI e seu passado etrusco são uma descoberta à parte, é um lugar para passear com calma e sem pressa. Seu coração é a praça principal, Piazza Grande, que fica no ponto mais alto da colina onde antes ficava a Acrópole, agora é emoldurado por belos palácios do renascimento e pela impressionante Catedral. Nas numerosas adegas da cidade é envelhecido um ótimo vinho tinto, o Vino Nobile di Montepulciano DOCG, cujas origens remontam ao século XIV. Veja fotos da cidade aqui, e também como ir para Montepulciano aqui.

Não deixe de provar o queijo de Pienza, famoso na Itália, conhecer uma fazenda que o produz e, claro, conhecer as vinícolas do Bruno e do vino Nobile. No passeio Enogastronomia em Val D’Orcia é possível visitar as vinícolas e conhecer uma fazenda que produz os famosos queijos e almoçar lá, em meio às mais belas paisagens do Val D’Orcia.

montepulciano - _17

Se você prefere mais conhecer as cidades ao invés beber vinho, pode fazer um tour pelas cidades, veja aqui.

Veja algumas festas  medievais nessas cidades e aproveite a sua viagem.

Em Montepulciano, se você tiver um tempinho, pode aproveitar e fazer uma aula de culinária com um chef no restaurante dele!

DIA 7: Arezzo e Cortona

Arezzo_117

Em seu último dia vá em direção à encantadora cidade de Arezzo, local de nascimento de mestres brilhantes como Piero della Francesca e Giorgio Vasari.

Visite a Basílica de São Francisco, com os afrescos impressionantes que descrevem a Lenda da Verdadeira Cruz de Piero della Francesca, a Igreja de San Domenico onde fica o crucifixo de madeira de Cimabue , e a magnífica Piazza Grande, com galerias realizadas por Vasari. Veja fotos da cidade aqui.

Se visitar a cidade no primeiro fim de semana do mês, aproveite e visite o Mercado de Arezzo, o maior mercado de antiguidades da Itália!

Giostra del Saracino

Giostra del Saracino

Em agosto e setembro tem a festa medieval com a disputa da Giostra dei Saraceni, veja aqui.

A pequena cidade colinar de Cortona, ao sul de Arezzo é a parada perfeita para terminar a sua viagem pela Toscana. Cortona é destaque do livro e do filme adaptação de “Sob o Sol da Toscana”, que ilustra “la bella vita” na Toscana. O coração da cidade é a sua Piazza della Repubblica, com o Palazzo Comunale, e ainda o Museu Diocesano exibe uma belíssima Anunciação de Cortona de Beato Angelico. Aproveite e visite o Eremo delle Celle, um dos locais de paz de São Francisco. Veja fotos da cidade aqui. E saiba como chegar à cidade aqui.

cortona- -_23

Veja como encontrar a casa da autora do filme “Sob o Sol da Toscana” aqui.

Desfrute desses passeios sem estresse, Cortona + Arezzo, com um tour guiado em português!

Dicas finais:

Escute meu conselho, por favor! Repito isso todo dia por email aos clientes e leitores: NÃO COLOQUE NO SEU ROTEIRO MAIS DE 3 CIDADES EM 1 DIA! Não é possível conhecer um local se você não passa pelo menos um tempo razoável para visitar!

Leve em conta o tempo de viagem de cada percurso e a proximidade das cidades!

Não faça, por exemplo, Siena-San Gimignano e Pisa desde Florença em 1 dia, você fará um zigue-zague! Faça Siena, San Gimignano e Monteriggioni, ou Volterra, por exemplo, que são próximas, mas não uma que fica no sentido oposto. Use o Google Mapas!

Pense que o patrimônio artístico da Toscana é imenso, mesmo numa cidade pequena como Pienza, por exemplo, há muitas coisas para ver. Veja que em Pisa há muitas coisas além da Torre. Passeie pelas muralhas de Lucca, conheça a catedral de Siena, portanto, conheça as cidades com calma!!

Qualidade ao invés de quantidade!

Valle D'Orcia_23

Espero que essa ideia de roteiro tenha ajudado vocês a se organizarem e estruturarem o itinerário pela região.



Publicidade

Compartilhe este conteúdo:


Por Deyse Ribeiro
Twitter - Facebook - Google Plus - Instagram - RSS

Participe e dê seu pitaco!